Marca Maxmeio

Resultado da busca por: Chuvas

07 de abril de 2008 às 07:27

Chuvas trazem alegrias e tristezas

LAGES

assu_96782.jpg
Pico do Cabugi, uma paisagem verde.

assu_96812.jpg
Em LaJes o agricultor prepara a terra.

assu_96912.jpg
BR 304 em Lajes, a destruição.

assu_99392.jpg
Rua em Lajes.

ASSU

assu_96982.jpg
A parede da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, vira passarela.

assu_97002.jpg
Iate Clube…

assu_97012.jpg
… que ficava a margem da barragem, foi inundado.

assu_97762.jpg
A beleza da sangria da barragem Armando Ribeiro Gonçalves.

assu_97772.jpg
A irresponsabilidade de alguns pais.

assu_97822.jpg
O contraste.

assu_98032.jpg
Ponte sobre o rio Açu.

assu_98132.jpg
Algumas ruas de Assu, estão alagadas.

assu_98262.jpg
Canoas são os principais meios de transportes.

assu_98432.jpg
Canoas mais úteis que a moto.

assu_98522.jpg
Ainda em Assu.

IPANGUASSU

assu_98901.jpg
Ruas completamente inundadas.

assu_99201.jpg
Casas invadidas pelas águas do rio.

assu_98721.jpg
No portão em vez de carro, a canoa.

assu_98791.jpg
No CEFET alagado, por ironia, na placa esta escrito, Projeto Molha a Terra.

assu_99301.jpg
Tudo alagado no CEFET…

assu_98801.jpg
… o patio virou um rio.

assu_98861.jpg
As pessoas aproveitaram para pescar.

assu_99111.jpg
Único lugar para guardar a bicicleta.

assu_99221.jpg
O posto de combustível também foi inundado.

CARNAUBAIS

assu_99281.jpg
Ponte do acesso a Carnaubais esta completamente coberta pelas águas.

assu_9867.jpg
E a irresponsabilidade na estrada.

30 de junho de 2007 às 15:35

Chuvas

rua

As chuva dos últimos dias tem deixado varias ruas intransitáveis.
A av. Boa Sorte, no bairro N. S. da Apresentação na Zona Norte é uma delas.

Município está sendo castigado com as recentes chuvas que caem no Rio Grande do Norte e moradores estão desabrigados. Doações podem ser entregues na Catedral Metropolitana

O Arcebispo de Natal, Dom Jaime Vieira Rocha, está convocando os fiéis e a população em geral a fazerem a doação de colchonetes, lençóis, água e alimentos não perecíveis, que serão destinados às famílias do município de Touros, litoral norte potiguar, que vem sendo assolado pelas recentes chuvas que caem no Rio Grande do Norte, desde a sexta-feira (06).

Em virtude dos alagamentos, a prefeitura municipal decretou estado de emergência e mais de 200 moradores tiveram que deixar suas residências e estão desabrigados. Os mantimentos podem ser entregues na Catedral Metropolitana, na sala da coordenação arquidiocesana de pastoral, no horário das 08h às 12h e das 13h às 17h, de segunda a sexta. Dom Jaime encerra o comunicado agradecendo a todos pela generosa e solícita colaboração.

O Rio Grande do Norte registra um mês de abril dos mais chuvosos da década, de acordo com a análise pluviométrica da Unidade de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), em abril deste ano a média de chuva no Estado foi de 208 milímetros, 45,5% acima da média para o mês que é de 143mm.

Nas regiões Central e Oeste, essa média foi ainda maior. Na região Central a média para o mês de abril é de 127mm, este ano choveu 224,7mm, 76,1% acima da média. Já na região Oeste, a média esperada para abril é de 165,5mm, em 2018 choveu 266,7mm, 61,2% acima da média.

Tabela com volume de chuva em abril/2018

Messorregião Chuva Observada em Abril/18

(mm)

Chuva Esperada para Abril

(mm)

Acima da média Abril/18

(%)

Oeste 266,7 165,5 +61,2
Central 224,7 127,6 +76,1
Agreste 131,6 107,9 +21,9
Leste 209,0 171,0 +22,2
Estado 208,0 143,0 +45,5

 

Acumulado Anual (janeiro a abril de 2018)

Na análise da chuva acumulada no ano de 2018, até o mês de abril, quando comparada como valor climatológico para o período de janeiro a abril, apresenta um desvio positivo climatológico de 33,5%, ou seja, choveu 33,5% acima da média esperada, conforme as previsões divulgadas pelo Núcleo de Meteorologia do Nordeste, em fevereiro deste ano.

Tabela com volume acumulado de janeiro a abril de 2018

 

Messorregião Chuva Observada (Jan-Abr) /18

(mm)

Chuva Esperada (jan-Abr)

(mm)

Acima da média (Jan-Abr/18)

(%)

Oeste 610,5 496,0 +23,1
Central 478,1 387,1 +23,5
Agreste 406,6 270,2 +50,5
Leste 629,8 438,7 +43,6
Estado 531,3 398,0 +33,5

 

Previsão para maio de 2018

De acordo com o setor de meteorologia da EMPARN, maio deverá ter chuvas acima da média, que é de 84mm para o mês inteiro. Segundo o meteorologista Gilmar Bristot, as condições oceânicas e atmosféricas continuam favoráveis a ocorrência de um bom volume de chuva, mesmo o mês tendo começado com um bloqueio, mas que não deve ser tão intenso como o que ocorreu em março, quando ficou 2 semanas sem chuva no Estado.

No primeiro dia de maio já houve registro de boas chuvas na região Oeste potiguar. Desde a manhã de segunda-feira (30), até a manhã de hoje, 02 de maio, a Unidade de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), registrou chuvas em 84 postos pluviométricos monitorados diariamente, em todas as regiões do Estado.

O acumulado de chuvas mais significativo ocorreu em Portalegre, com 74,1 milímetros (mm); Messias Targino, 68,5mm; Frutuoso Gomes, 64,0mm; Lucrecia, 58,0mm, entre outros municípios da mesorregião Oeste. O boletim completo está disponível em nossa página: www.emparn.rn.gov.br

Não diria que foi uma viagem dos sonhos. Mas com certeza seria para o sertanejo que durante 7 anos não viu uma só folha verde e agora aos seus olhos pode ver a imensidade de barragens, açudes e barreiros cheios de água, alguns quase cheios e outros sangrando. Ao longo das estradas, seja de asfalto ou de chão, deparamos com rio e riachos com água correndo no sertão sofrido do interior do RN. Nesses tempos de chuvas a paisagem é outra, não parece ser no Nordeste. Da gosto viajar nesses tempos. Da gosto ver a alegria do sertanejo, da gosto ver o milharal com suas espigas e o plantio de feijão. Quanta fartura e quanto seria se todos os anos a chuva chegasse em abundância. Saímos de Natal na manhã do sábado, 28, e retornamos a Natal no final da tarde da segunda-feira, 30 de abril. Foram três dias de viagem para desfrutar das belezas do período de inverno.

Os registros fotográficos foram feito do açude Pataxó em Ipanguassu, da barragem Armando Ribeiro Gonçalves em Itajá, cachoeira de Caparina em Felipe Guerra, Martins, Cachoeira do Pinga em Portalegre, Patu, Jardim de Piranhas, Itans em Caicó, ponte Zé do Bastos com açude sangrando em Jardim do Seridó e por último o Gargalheiras em Acari, um dos mais belos açudes do nosso Estado que infelizmente ainda não tomou água.

Nos lugares onde existe pontos atrativos como cachoeiras e sangrias dos açudes, encontramos pessoas dos mais diversos lugares que fazem o caminho das águas para conhecer esse momento único. Ainda não é muita gente como o atrativo merece, pois falta incentivo e divulgação para esse fim. Poderia ser bem maior levando emprego e renda para essas regiões.

Por fim quero agradecer ao amigo Bruno Giovanni pela oportunidade de lhe acompanhar nessa viagem pelo caminho das águas.

Tão logo tomou conhecimento do problema ocorrido nas adutoras Serra de Santana e Currais Novos/Acari, o deputado e presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) solicitou ao governador Robinson Faria (PSD) ao secretário de Recursos Hídricos, Mairton França e ao presidente da Companhia de Águas e Esgotos (CAERN) Marcelo Saldanha Toscano que sejam realizados, em caráter de urgência, os reparos nas duas adutoras.

“O grande volume de água das últimas chuvas ocorridas no Estado danificou as estruturas das adutoras responsáveis pelo abastecimento d´água de algumas cidades da região Seridó. O rompimento do sistema adutor está ocasionando transtornos na vida de grande parte da população seridoense”, justifica o deputado Ezequiel Ferreira.

Ainda em sua justificativa, Ezequiel reforça que oito cidades da região – Acari, Bodó, Cerro Corá, Currais Novos, Florânia, Lagoa Nova, São Vicente e Tenente Laurentino Cruz – estão sofrendo com a suspenção do abastecimento de água.

“São por essas razões que solicitei que sejam tomadas as medidas necessárias para o reparo das adutoras com a maior brevidade possível para o restabelecimento da distribuição normal de água para esses municípios, pois a população poderá vir a sofrer maiores problemas, caso esse pleito não seja tratado com a importância que requer”, reforça o deputado Ezequiel..

A unidade de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), registrou boas chuvas no fim de semana, da manhã da última sexta-feira até a manhã de hoje (9), provocadas pelo fortalecimento da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT). A EMPARN registrou precipitações em 92 postos pluviométricos monitorados diariamente, em todas as regiões do Estado. Os maiores volumes ocorreram nas regiões Oeste e Central, onde vários açudes receberam uma boa quantidade de água.

O acumulado de chuva mais significativo foi em Apodi (Base Fisica EMPARN), com 192,6 milímetros (mm), seguido de Martins, 190,0mm; Frutuoso Gomes, 160,0mm; Tenente Ananias, 115,0mm; Rafael Godeiro, 114,6mm; Jucurutu, 100,5mm; Umarizal, 98,0mm; Campo Grande, 97,0mm; Portalegre, 94,5; Lucrécia, 91,4mm; Francisco Dantas, 90,0mm; Felipe Guerra, 89,0 e Viçosa, 87,5mm. Choveu ainda em Rodolfo Fernandes, Campo Grande, Messias Targino, Caraúbas, Olho D’agua dos Borges, Severiano Melo, Janduís, São Francisco do Oeste, Luis Gomes, entre outros municípios.

Na mesorregião Central o acumulado mais significativo foi em Parelhas, 118,1mm; Jardim do Seridó, 117,2mm; Timbaúba dos Batistas, 101,0mm; e Santana do Seridó, 83,2mm. Choveu ainda em Cruzeta, São João do Sabugi, Equador, Florânia, Acari, Carnaúba dos Dantas, Caicó e Ouro Branco, entre outros municípios.

Na mesorregião Agreste, choveu em Rui Barbosa, 39,9mm e Jaçanã e Sitio Novo, com 30,0mm, em cada município. Choveu ainda em Serrinha, Ielmo Marinho, Bento Fernandes, Barcelona, e Parazinho, entre outros municípios.

Na mesorregião Leste choveu mais forte em Ceará-Mirim, 80,0mm; Macaíba, 58,1mm e Espírito Santo, 8,4mm, além de São Gonçalo do Amarante, Parnamirim, Montanhas e Natal.

 

Previsão para o dia 10/04/2018

A Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), continuará presente sobre a região Nordeste do Brasil, induzindo a formação de áreas de instabilidades em todas as regiões do Estado. Assim, para as próximas horas o céu sobre o Estado será parcialmente nublado com ocorrência de chuvas.

O sertanejo espera o mês de março com ansiedade, já que normalmente é o mês que mais chove no sertão nordestino. Mas esse ano, apesar da previsão de um bom inverno, foram registradas poucas chuvas desde começou março, foram mais de duas semanas sem chover, por causa de uma massa de ar quente que estava dificultando a formação de chuva. A boa notícia é que neste fim de semana houve registros de boas chuvas no interior, principalmente nas regiões Oeste e Central.

Choveu com mais intensidade na região Oeste, no município de Messias Targino o acumulado do fim de semana foi de 100 milímetros e 97mm em Tenente Ananias. Na região Central choveu mais em São João do Sabugi, 95 milímetros.

Previsão

A previsão para os próximos dias é de céu parcialmente nublado com chuvas, principalmente no interior do Estado, já que as condições oceânicas e atmosféricas estão favoráveis para a ocorrência de chuva e massa de ar quente sobre a região também perdeu forças.

Reunião Climática

Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), sedia nos dias 27 e 28 de março, em Recife/PE, mais uma Reunião Climática com representantes dos centros de meteorologia da região Nordeste. Meteorologistas da Bahia, Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte, estarão reunidos para analisar modelos meteorológicos e a configuração da atmosfera e dos oceanos, com objetivo de realizar a Previsão Climática para os meses de abril, maio e junho de 2018 para o setor leste do Nordeste, no Rio Grande do Norte abrange parte da região Agreste e o Litoral.

Nas últimas 24 horas, da manhã de ontem (quinta-feira) até a manhã de hoje (16), a unidade de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), registrou chuvas em 70 pluviômetros monitorados diariamente, em todas as regiões do estado. As maiores precipitações foram registradas nas mesorregiões Oeste e Leste. Aos poucos as chuvas vão garantindo o início do plantio da safra de 2018. A previsão é de predominância de céu parcialmente nublado, com a presença da Zona der Convergência Intertropical provocando mais chuvas em todas as regiões potiguares.

As chuvas mais intensas foram registradas na região Central do estado. Destaque para Pedro Avelino (Base Física da Emparn), onde choveu 90,0 milímetros. Choveu ainda em Guamaré, 34,3mm; Macau, 25,7mm; São Bento do Norte, 18,56mm; Fernando Pedroza, 15,1mm; Angicos, 14,9mm; Florânia, 14,3mm; Caicó (Açude Itans), 14,2mm; Lajes, 1,9mm. Choveu ainda em Jardim do Seridó, Parelhas, Cerro Corá e São Fernando.

Na região Oeste choveu mais forte em Governado Dix-sept Rosado e Marcelino Vieira, com 40 milímetros, em cada município e ainda em Parau, 35,0mm; Alto do Rodrigues, (Baixo Assu), 34,0mm; São Rafael, 26,5mm; Assu, 26,5mm; Rodolfo Fernandes, 24,1mm; Apodi, 21,1mm e Severiano Melo, 21,0mm. Choveu ainda em Itajá, Itaú, Jucurutu, Upanema, Caraúbas, Campo Grande, entre outros municípios do Oeste.

Na região Agreste choveu mais forte em Boa Saúde, 22,3mm; Passa e Fica, 18,3mm; Monte das Gameleiras, 16,1mm; Lagoa de Pedras,  9,8mm; São Tomé, 7,5mm e ainda em Serrinha, Barcelona, Bento Fernandes, Santa Maria, Ielmo Marinho e João Câmara. Na mesorregião Leste choveu mais forte em Maxaranguape, 12,0mm; Extremoz, 8,9mm; São Gonçalo do Amarante (Base Física da Emparn), 7,8mm; Ceará-Mirim, 7,0mm; Senador Georgino Avelino, 6,4mm e Baia Formosa. Choveu ainda em Espírito Santo, Natal, Canguaretama, Taipu e Parnamirim. O boletim completo está disponível da página da Emparn: www.emparn.rn.gov.br