Marca Maxmeio

Notícias

Foto: José Aldenir Joinha

Veja também live da orça feitam neste domingo:
https://www.instagram.com/tv/CMH_hCsHJ-5/?igshid=keczcy035o0z

Orla de Ponta Negra por volta da 23h00

O Rio Grande do Norte, a partir deste sábado (27), passa a ter toque de recolher das 22h às 5h do dia seguinte. Esse é um dos principais itens do Decreto Nº 30.383 que será publicado amanhã no Diário Oficial do Estado. No mais recente documento, ainda há a determinação para que haja a suspensão, a partir o dia 1° de março, das aulas presenciais nas redes privada e pública de ensino, das atividades coletivas nos templos e Igrejas e do funcionamento de parques ou qualquer outro tipo de evento e festas de qualquer natureza.

Para a governadora Fátima Bezerra essas medidas são urgentes e necessárias porque o Estado – como em todo o Brasil – vive um verdadeiro “cenário de guerra” e, portanto, não deixa alternativas. Em entrevista, a governadora adiantou que essas medidas deverão vigorar por até duas semanas.

O Brasil teve 1.541 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas; a média móvel de morte está acima de mil pessoas; no Rio Grande do Norte, o boletim mais recente mostra que já são 165.050 casos confirmados, dos quais 3.562 pessoas não resistiram à transmissão do vírus e ainda existem 718 óbitos em investigação. Sem contar que os profissionais da saúde estão esgotados e sem trégua há praticamente um ano.

Para agravar o cenário, apesar de todos os esforços do Governo do Estado em seu Plano de Expansão de Leitos exclusivos para o tratamento da Covid-19, que já abriu mais de 700 leitos desde o início da pandemia. Só em dezembro foram abertos 104 leitos; nesta semana, mais 37 e estão previstos para os próximos dias, mais 39 leitos e, mesmo assim, a transmissibilidade continua alta e não permitindo que se fixe no percentual minimamente aceitável de até 80% dos leitos ocupados nos hospitais estaduais. A taxa de ocupação de leitos da Região Metropolitana está acima de 90% e no geral, em 85%.

“Nós estamos vivendo um colapso. Não adianta só abrirmos leitos. Nosso foco agora é de tomar essas medidas restritivas para garantir o distanciamento social, conter as aglomerações e com isso conter a transmissibilidade do vírus”, disse a governadora que, ao longo do dia (26) realizou diversas reuniões com chefes de poderes, representantes de Igrejas e instituições de ensino na esfera privada para alertar da gravidade da pandemia no Estado.

Segundo afirmou, as Força de Segurança irão fazer valer o cumprimento do decreto em todo o território potiguar. Mas também há uma responsabilidade compartilhada com as prefeituras. E Mais importante: essa guerra só será ganha com o apoio da população. “Nós contamos com o espírito de coletividade e de solidariedade. O povo do Rio Grande do Norte vai dar uma lição de solidariedade e amor. Vamos cuidar das pessoas que amamos. Estamos vendo todos os dias pessoas e entes queridos indo embora. Se ao menos o processo da vacina estivesse mais acelerado, imunizando as pessoas, certamente não estaríamos vivendo um dos momentos mais dramáticos dessa pandemia”, lamentou a chefe do Executivo estadual.

Responsabilidade dos Municípios

O Governo do Estado vem trabalhando no sentido de manter a corresponsabilidade com prefeitos e prefeitas no combate à transmissão do vírus. Portanto, existem recomendações também para os municípios como por exemplo: suspensão nos finais de semana e feriados, de acessos às praias, lagoas, cachoeiras, balneários, rios e similares, bem como piscinas, inclusive aquelas em locais de uso coletivo; reorganização das feiras livres e similares, de modo a assegurar o distanciamento social; restaurantes, lanchonetes, barracas de praia, praças de alimentação, praças de food truck, bares e similares devem fechar após as 22h até as 06 da manhã do dia seguinte; e recomenda, também, às Prefeituras que regulem e suspendam a venda e consumo de bebidas alcoólicas em locais públicos, dentre outros incisos.

Veja live:

https://www.instagram.com/tv/CL0YslOHrb5/?igshid=1b7kh2itc0538

Árvore de Natal de Mirassol

A tradicional Árvore de Natal, na zona Sul, foi acesa na noite desta sexta-feira (11) pela Prefeitura do Natal. Com 110 metros de altura e considerada a maior do Brasil, a Árvore do Mirassol foi ligada sem presença do público. A iniciativa foi tomada para coibir a proliferação do coranavírus.

“Este ano, infelizmente com a presença do coronavírus, vai ser um natal isento das festividades, das confraternizações grandes, dos shows, dos eventos que produzíamos para celebrar o ‘Natal em Natal’. Com essa pandemia, com o número de pessoas acometidas com esse mal que se instalou em todo o mundo, e Natal não foi diferente, fez com que fôssemos penalizados, diminuindo as festas que comumente comemorávamos. Mas é necessário reduzirmos os festejos pra preservarmos a saúde das pessoas. Porém, nossa Árvore é tradição e com suas luzes e brilho vai dar esse ar pra nossa cidade de esperança. E vamos continuar orando e pedindo a Deus para que nos ajude para que possamos contornar esse mal nefasto que tanto causa do e angústia pro povo de nossa cidade, do país e do mundo”, disse o prefeito Álvaro Dias.

“Natal de vida e esperança” é o tema da decoração de 2020. Segundo o titular da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos (Semsur), Irapoã Nóbrega, a temática escolhida baseia-se na crise que afeta todo o país decorrente da pandemia. “Estamos vivendo um ano atípico. Muitas vidas foram perdidas e ainda há muito com o que se preocupar. Mas, hoje, o acendimento da árvore veio para nos lembrar que sempre há esperança. Não pudemos reunir todos os cidadãos natalenses na árvore, mas espero que o verde que ela traz esse ano mostre que podemos superar e quebrar barreiras”, destacou.

Em decorrência da pandemia da Covid-19, a decoração natalina do Natal em Natal terá menos peças nas ruas e será focada nas árvores (Mirassol, Nélio Dias, Parque dos Coqueiros e Área de Lazer do Panatis), nas principais avenidas e nas igrejas do circuito histórico da cidade. Isso irá proporcionar uma economia de pelo menos R$ 2 milhões aos cofres do município quando comparado com o valor investido em 2019. A empresa foi escolhida através de processo licitatório e tem valor global de contrato em R$ 2.997.124,33.

A instalação da Árvore de Natal foi realizada pela Razão Produções e Eventos. Além dela, a empresa é responsável pela instalação das árvores do Panatis, Nélio Dias e Parque dos Coqueiros e da Casinha do Papai Noel, além da implantação da iluminação da Catedral Metropolitana, do Pórtico dos Reis Magos, dos Três Reis Magos, do Palácio Felipe Camarão, das igrejas do circuito histórico de Natal (Nossa Senhora da Apresentação, Bom Jesus, do Galo, Nossa Senhora do Rosário dos Pretos) e do Instituto Histórico.

A Casinha do Papai Noel em Mirassol vai funcionar de quinta a domingo, das 18h às 21h. Com exceção do dia 24 de dezembro, que não vai funcionar.