Marca Maxmeio

Resultado da busca por: Chuvas

27 de abril de 2013 às 21:20

Campo Grande, destino das águas

Há poucos dias, o que se via pelo interior do RN, era seca, calor e sofrimento. Hoje em algumas regiões, o que se ver é muita água e alegria, a exemplo da cidade de Campo Grande onde várias açudes estão sangrando.
E foi a convite do vereado Nilson Jr. e da delegada Sheila Freitas, filhos da cidade, que passamos o sábado na região, eu e o diretor da revista Deguste Washington Rodrigues para registrar as sangrias dos açudes e fazer matéria de um prato típico que chegou para festejar a chegada das chuvas. Visitamos quatro açudes. O Recreio próximo a entrada da cidade com uma pequena sangria, barragem Pepeta no Campo de Aviação, sangria da cachoeira dos Gabrieis, açude do Morcego e por fim uma parada para almoço no Morcego Bar de Toinho, onde foi feita uma matéria para revista Deguste sobre tucunaré servido no bar restaurante.
Mas se em Campo Grande e algumas regiões do Estado a chuva já abasteceu o suficiente para o sertanejo esquecer o sofrimento causado pela seca, outras regiões continuam flageladas pela falta de água. Pegando a BR 304, logo após se afastar do litoral até a cidade de Fernando Pedrosa a imagem é desoladora, vegetação seca pela conseqüente da falta de chuva. Continuando pela 304 depois de Fernando Pedrosa e entrando pela RN-233 até Campo Grande, muito verde, poças d’água, barreiros e açudes cheios a margem das estradas. Em Parau, um registro das carnaúbas numa região totalmente alagada.
20 de março de 2013 às 00:58

Fotógrafo potiguar realiza registro sobre a seca

Por Elias Medeiros – www.eliasjornalista.com

O fotógrafo potiguar, Aldair Dantas, realizou uma expedição ousada pelo médio oeste do RN e registrou relatos sobre a seca no município de Campo Grande. A aventura foi realizada entre os dias 8, 9 e 10 de março. Encarar sol forte, escassez de água, terrenos tórridos e constatar o sofrimento do Sertanejo, foram alguns dos ingredientes dessa viagem.

A notória falta de chuva em grande parte da Região Nordeste já obrigou 144 cidades do Rio Grande do Norte a decretar situação de emergência, afetando, somente nas zonas rurais, mais de 500 mil pessoas. Em alguns municípios do sertão potiguar, a estiagem já obriga muitas pessoas a percorrer longas distâncias sob o efeito do sol em busca de água que são distribuídos por carros-pipas, incluindo Campo Grande.

A cronologia da seca se arrasta por décadas

Uma cronologia anunciada que se arrasta por décadas. Os gestores públicos fazem o mínimo ou quase nada para amenizar ou resolver a situação. Parece ser mais fácil decretar estado de calamidade pública e forçar o governo federal a liberar verbas, do que propriamente resolver o problema.

Segundo a governadora Rosalba Ciarlini (DEM), o problema, contudo, não é propriamente a seca, algo com que, segundo ela, o sertanejo potiguar já está acostumado, mas sim “a falta de infraestrutura hídrica” adequada, ou seja, de distribuição. “A seca não é novidade. É o nosso clima”, disse a governadora, em nota publicada no site do governo.

“Temos que pensar uma forma de desenvolver infraestrutura hídrica que leve água às cidades, fortalecendo o campo. Estamos vivenciando a maior seca e ela não vai acabar agora. Sabemos que a cada dia teremos mais situações realmente de calamidade”, conclui a governadora.

Em suas músicas, o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, sempre exaltou o nordestino.

O nordestino, especialmente os pertencentes à zona rural, sempre foram exaltados nas letras musicais, além de cantada em prosa e verso, pelo Rei do Baião, Luiz Gonzaga. “Mandacaru quando fulora na seca é o sinal que a chuva chega no sertão…” onde se encontra o termo mandacaru (Cacto), símbolo da seca.

Considerado um Hino do Nordeste, a música Asa Branca (Luiz Gonzaga/Humberto Teixeira), composta em 1947, continua mais atual do que nunca. “Quando olhei a terra ardendo, Qual fogueira de São João, Eu perguntei a Deus do céu, ai Por que tamanha judiação?”, se percebe que as letras das músicas foram construídas com respeito ao povo nordestino, ao qual Luiz Gonzaga teve maior admiração, sem esquecer suas origens.

O nordestino resiste à seca

Uma das saídas apontadas por especialistas para amenizar o sofrimento dos nordestinos em períodos longos de seca, seria o incentivo por parte do governo da criação do rebanho de caprino, animal resistente e de fácil adaptação ao clima local. “O financiamento que seria responsabilidade do Banco do Nordeste, não sai das intenções, porque o agricultor não tem como pagar o financiamento”, alega Hermínio Fernandes, agricultor.

O lado religioso e a esperança em São José

Segunda crença popular, chuva indica ano de boa colheita e abundância. A crença católica diz que se chover até o Dia de São José, celebrado nesta terça-feira (19), a safra vai ser boa. O dia começa com pancadas de chuvas onde anuncia o inverno que até o presente momento foram insuficientes para a formação de estoques de água nos principais reservatórios; açudes, tanques, poços tubulares, barreiros e principalmente cisternas, importante recurso para o suprimento da população rural com água potável, dessa forma a fé e a esperança do Sertanejo permanece.

Em tempos de vacas magras e de seca prolongada, além de chamar a atenção para o problema, as imagens do fotógrafo Aldair Dantas, falam por si só.

20 de janeiro de 2013 às 23:50

Aventura em Parelhas

 

Na manhã desde domingo (20), na companhia de Carlinhos Assis e seu jeep, quase um trator, pois subir a serra da capelinha na trilha quase vertical, não é para qualquer motor ou qualquer motorista. Mas vale a pena o visual. Embora a seca deixe uma imagem desoladora e o calor seja quase insuportável, vale a pena pela beleza do sertão que não tem igual. E la embaixo uma coisa inacreditável, no meio de um sertão sofrido pela falta de chuvas, um oasis no meio da sequidão. Uma comporta aberta do boqueirão para favorecer quem mora as margem do rio, faz a festa nos fins de semana para a comunidade da região.
24 de dezembro de 2012 às 16:54

Nem a seca tira a beleza do Sertão

IMG_2825

 

Neste fim de semana resolvi fazer uma viagem pelo interior do RN com o objetivo de fotografar os males causados pela seca. Sai de Natal as 6 horas da manhã do sábado, na companhia do parceiro Jailson Fernandes, paramos em Santa Cruz, São Bento do Trairi, Parelhas e Caicó e só chegamos de volta a Natal no finalzinho do domingo.
Os registros não foram somente de tristeza, o interior do RN é belo e no meio de toda sua fragilidade por causa da terrível seca, a gente encontra não só o belo, mas a demonstração da força e fé do sertanejo, seja na beleza dos templos religiosos, seja no Santuário de Santa Rita de Cássia em Santa Cruz ou mesma  na grande feira livre desta Cidade que movimenta economicamente, além de ser um grande atrativo para toda região e que atraem gente de longínquos lugares nos seus antiquados pau-de-arara. O belo está em todos os lugares, seja no verde da algaroba que não se fragiliza com a seca, seja no cantar dos galos de campina nos galhos secos da árvore que hiberna na esperança que a chuva chegue para novamente expor suas folhagem verde e bela.
Para amenizar o calor, seja andando a pé ou numa carroça só o guarda-chuvas ou a sombrinha colorida que até parece que da mais vida ao lugar num cenário onde casas já viraram ruinas, abandonadas por aqueles que foram em busca de vida melhor, muitas vezes na cidade grande.
A vida e a morte está sempre presente e é muito mais evidente nesta época. A vida demonstrada no nascimento do bezerro e a morte nas cruzes que ficam a beira da estrada ou nos restos dos animais mortos pela falta de alimento. Mas a esperança vem dos céus, tanto por sua beleza como pela fé extrema do homem do campo.
Se tem vidas, resta esperanças. Os galhos estão secos mais as árvores não mortas. Não é a seca ferrenha gerada pela falta de chuvas que vai tirar a esperança do sertanejo. Homem forte e sofredor, valente e de fé que enquanto a chuva não vem ele busca as mais sofridas formas para manter o seu gado vivo. Os que moram ao lado das barragens, que também já esvaziam por causa da estiagem, da evaporação e das comportas abertas, sofrem menos, pois ainda existe um reserva de capim e que a medida que a água dos açudes vai baixando ele vai plantando na margem ainda úmida.
A situação provocada pela seca se agrava a cada dia, mas a fé do sertanejo o mantem de pé e mesmo com os indícios que 2013 seja um ano de pouca chuva, ele continua esperançoso e não concebe a ideia de que o inverno não venha, pois a caos já chegou e mais um ano sem chuvas será não só um grande castigo dos céus, mas também uma catástrofe que trará prejuízos incalculáveis e mortais.
11 de dezembro de 2012 às 16:45

Governadora se reúne com prefeitos eleitos

Governadora reúne prefeitos eleitos e reeleitos para traçar plano de combate aos efeitos da seca para 2013

 

Com base no prognóstico de chuvas pouco animador para o Rio Grande do Norte, a governadora Rosalba Ciarlini convocou para a tarde desta terça-feira (11) uma reunião com prefeitos eleitos e reeleitos dos municípios que foram decretados em estado de emergência devido à forte estiagem que afeta cerca de 95% do território do RN.

Dos 167 municípios do Rio Grande do Norte, 142 estão em estado de emergência devido à seca, sendo 139 declarados em Situação de Emergência pelo Governo do Estado, através do Decreto Estadual nº 22.637, de 11/04/2012 e reconhecido pelo Governo Federal através da Portaria nº 174, de 27/04/2012, já as cidades de Monte Alegre, Jucurutu, Nova Cruz e Passagem decretaram estado de calamidade de forma independente.

A governadora explicou para os prefeitos eleitos e reeleitos que o objetivo da reunião é dar norteamento aos que assumem o cargo para que as ações e trâmites de auxílio junto ao Governo Federal não fiquem estagnados, uma vez que a previsão de chuvas no Estado é apenas para março de 2013. “Apesar de podermos contar com o Governo Federal, o trajeto para que o auxílio chegue é muito demorado e burocrático, esperamos que os prefeitos que vieram, principalmente os novos prefeitos, se inteirem sobre o que vem sendo feito para que os processos e ações iniciadas não parem no meio do caminho, precisamos do envolvimento e comprometimento dos gestores municipais”, falou a governadora Rosalba Ciarlini.

Segundo o tenente-coronel Josenildo Acioli, coordenador da defesa civil estadual, a cooperação das prefeituras para o Plano de Ação estabelecido no combate aos efeitos da seca é fundamental. “Devem ter em mente que precisam fazer sua parte. As verbas para o auxílio em caso de catástrofes e calamidades existem, mas só são liberadas mediante o envio de documentação específica e o trâmite é feito diretamente junto ao Governo Federal”, lembrou o coordenador. Acioli falou ainda acerca do trabalho realizado pela Coordenadoria da Defesa Civil Estadual e Nacional nos municípios do RN. “Já tivemos 12 equipes da Defesa Civil Nacional realizando visitas nos 139 municípios em situação de estiagem severa com mais de 30 relatórios enviados diretamente para o Centro Nacional de Gerenciamento de Desastres”, informou Acioli.

Operação Pipa

 

Coordenada pelo Exército brasileiro, a Operação Pipa está atendendo 94 municípios do Estado, mas de acordo com o tenente coronel Geraldo de Almeida, coordenador da Operação, o trabalho já atingiu um ponto máximo no atendimento das demandas. “Recebo ligações quase diárias de prefeitos solicitando a inclusão de seu município na Operação e aproveito esta reunião para frisar que, além termos esgotado nossa capacidade operacional, a inclusão de municípios não é feita nem pelo Exército e nem pelo governo do Estado, e sim pela Secretaria Nacional de Defesa Civil, em Brasília”, informou Almeida.

 

Mesmo com todos os esforços realizados, o tenente coronel Geraldo de Almeida também lembrou que a Operação Pipa também depende do volume de água dos reservatórios e a potabilidade da água. “A água da Operação Pipa é destinada ao consumo humano para beber e cozinhar, portanto deve estar em condições sanitárias adequadas, o monitoramento desses reservatórios é de responsabilidade da prefeitura, que deve estar atenta para evitar a contaminação de uma água que está cada vez mais escassa”, afirmou Almeida.

 

2013

 

A governadora Rosalba Ciarlini anunciou para os novos prefeitos que além da reunião da tarde desta terça-feira (11), o Governo do RN deve estabelecer uma outra programação prevista para janeiro de 2013. “Temos que estar em sintonia com os prefeitos, que muitas vezes usam os primeiros meses de mandato apenas para tomar conhecimento das ações em andamento e do funcionamento dos trâmites. Queremos ajudar para que os prefeitos que estão chegando saibam como participar de projetos, programas e parcerias nas mais diversas áreas como saúde, educação e segurança”, explicou a governadora Rosalba Ciarlini.

 

Também participaram da reunião os secretários Gilberto Jales (SEMARH), Luiz Eduardo Carneiro (Sethas), José Simplício (Sape) e Gustavo Szilagyi (Idema) que compõe o Comitê Gestor Integrado da Seca.

 

Fonte: Redação Assecom

 

Foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (12) o Decreto Nº 22.637 que dispõe sobre a situação de emergência em 139 municípios do RN afetados por desastres naturais relacionados com a estiagem.
De acordo com o documento, “os órgãos do Sistema Nacional de Defesa Civil – SINDEC, sediados no território do Estado, ficam autorizados a prestar apoio suplementar aos municípios afetados pelo desastre, mediante prévia articulação com a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, e de acordo com o planejado com a devida antecipação”.
A medida foi tomada a partir da divulgação do Parecer Técnico nº 002/2012, de 10 de abril de 2012, da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil – CEDEC/RN (vide anexo), atestando o quadro característico de Situação de Emergência. Além disso, outras ações motivaram a publicação do Decreto, como o monitoramento das chuvas por parte da EMPARN nos meses de janeiro e fevereiro de 2012; a falta de água para a produção agrícola e pecuária, bem como para o consumo humano e animal, na zona rural do estado; e os respectivos problemas socioeconômicos, bem como a dificuldade, por parte da Administração Pública local, de adotar medidas emergenciais que minimizem a situação de anormalidade.
Alexandre Mulatinho
Assessor de Comunicação do Governo do RN

Açude Caldeirão em Parelhas. Uma das fotos da exposição "Espetáculo das Águas"

 

“Espetáculo das Águas” na Festa de São Sebastião em Parelhas
Dentro da programação da Festa de Janeiro da Cidade de Parelhas durante as comemorações dos festejos de São Sebastião, acontecerá a  exposição fotográfica  “Espetáculo das Águas” de minha autoria e que mostra a sangria dos principais açudes do RN e da alegria do sertanejo.  Das 20 fotografias que fazem parte da exposição, apenas duas mostram as tragédias provocadas pela chuvas, em Ipanguassu. Dentre elas tambem uma do açude Caldeirão da cidade de Parelhas, um registro inusitado onde mostra todas pessoas da foto, em duplas.
A abertura da exposição acontece as 20 horas desta quarta-feira (18) na Tenda Cultural da Praça Arnaldo Bezerra.
No mesmo dia a partir da 22 horas tem show em praça pública com o forrozeiro dos bons Dorginal Dantas.
No dia 19 às 5 horas da manhã acontecerá uma Expedição Fotográfica, a 1ª Caminhada de São Sebastião em direção a Barragem Boqueirão, encerrando com café da manhã no Terminal Turístico do Boqueirão.
No mesmo dia as 15 horas acontece tambem o 1º Twitter Encontro de Parelhas, com palestra sobre Marketing e Mídias Socias, com Bruno Oliveira.
A noite, 21 horas, show em praça pública com Os Nonatos.
15 de setembro de 2011 às 14:32

Dia Mundial Sem Carro

 

APRESENTAÇÃO
    No dia 22 de setembro é comemorando e reivindicado o Dia Mundial Sem Carros (DMSC), manifestação realizada em diversos lugares do mundo que propõe uma reflexão para a sociedade sobre o impacto tanto social quanto ambiental da cultura do automóvel, em que cada pessoa deseja ter seu próprio carro, proclamado pelos meios de comunicação como principal “sonho de consumo” dos indivíduos.
Em 2011, por ocasião do Dia Mundial Sem Carros e também pela conjuntura atual dos investimentos a serem realizados em mobilidade por ocasião da Copa do Mundo de 2014, a Bicicletada Natal preparou a Semana Mundial Sem Carros com o propósito de mobilizar a cidade para refletir sobre Mobilidade e Transporte Sustentável, chamando a atenção e reflexão popular para os gastos públicos destinados às obras da Copa, quais os planos, quais as prioridades, como e onde serão feitas as modificações.
JUSTIFICATIVA
    A capital potiguar, assim como todas as cidades de porte semelhante ou superior, sofre com os incontáveis males decorrentes da prioridade dada pela sociedade ao automóvel. Do ano 2000 a 2009, houve um crescimento de 66.3% da frota potiguar, alcançando em 2010 a marca de 217 mil veículos, entre carros, caminhonetes e utilitários (DETRAN-RN), enquanto a frota de transporte coletivo permanece em cerca de 900 ônibus (Semob/Seturn).
Além da imensa poluição produzida, causadora de doenças respiratórias e alterações climáticas (seja o aumento da temperatura ou da acidez das chuvas) a cultura do automóvel prejudica a sociedade ocupando os espaços urbanos com crescentes congestionamentos, demanda por estacionamento, expansão e alargamento das vias, construção de viadutos, túneis e pontes; que transformam espaços antes ocupados por calçadas, praças, áreas verdes ou mesmo prédios em terreno árido de asfalto (que aquece a cidade) ou então privatizam temporariamente o espaço público sempre que um carro particular ocupa parte das ruas estacionando nos acostamentos.
    Este contexto, que se agrava diariamente, há algumas décadas passou a mobilizar cidadãos pelo mundo inteiro para agirem contra a influência econômica e política de uma indústria que forjou através dos tempos uma cultura fortemente arraigada no imaginário das pessoas. Afinal, que pai não gostaria de presentear seu filho com um carro quando este é aprovado no vestibular? Ou que trabalhador não almeja adquirir seu veículo quando o salário permite? Ou mesmo, que empresário não deseja possuir o último lançamento automobilístico, reforçando assim seu status diante dos seus pares?
    A capital potiguar, desde 2007, passou a organizar a Bicicletada Natal, que mensalmente mobiliza cerca de 90 a 110 ciclistas por uma cidade mais humana, sustentável, que dê prioridade às pessoas e não aos carros, desenvolvendo uma consciência de coletivo, em detrimento do individualismo motorizado promovido pelo carro.
    O mês de setembro será crucial nos esforços de todos os cidadãos envolvidos com a Bicicletada para convergir as atenções da população para esta importante temática, proporcionando momentos de debate, conhecimento da população do que acontece com a cidade e transformação de posturas.
OBJETIVOS
A Semana Mundial Sem Carros objetiva transformar o Planejamento, Mobilidade Urbana e o Transporte Sustentável em pauta principal de discussão da população potiguar no mês de setembro, fomentando o debate crítico e a discussão de alternativas e soluções, mudanças de atitudes e ações necessárias para transformar efetivamente a realidade local.
29 de junho de 2011 às 19:27

Chuva cria crateras nas vias da cidade

Rua Raimundo Chaves, Candelária

Defesa Civil do município monitora situação das chuvas em Natal

A Prefeitura do Natal, por meio da Defesa Civil, está em alerta, 24 horas, trabalhando com ações para amenizar os estragos causados pelas chuvas que tem caído na cidade nos últimos dois dias e prevenir novos transtornos. De acordo com o secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Civil (Semdes), Carlos Antônio de Araújo Paiva, até está quarta-feira (29), não verificou-se ocorrências graves como desabamentos de encostas ou soterrando de residências e moradores, decorrentes das fortes precipitações pluviométricas.

“Estamos com a situação até o momento sob controle. O que temos são os tradicionais pontos de alagamento, como nas avenidas da Integração, em Candelária, dos Xavantes, na Cidade Satélite e na Avenida Moema Tinoco, no Pajuçara, zona Norte, que impedem o fluxo normal de veículos e pedestres, além de casos pontuais espalhados pela cidade”, informou o titular da Semdes, Carlos Paiva.

A Defesa Civil tratou ainda do problema ocorrido na rua Raimundo Chaves, em Candelária, quando uma cratera se formou por conta do grande volume de águas das chuvas, provocando a queda de um veículo no local, cujo proprietário do automóvel não se machucou. Os técnicos da Secretaria Municipal de Obra Públicas e Infraestrutura (Semopi) estiveram também no local, analisando as consequências do caso. “Já nesta quarta-feira (29) estaremos cobrindo a cratera para que a partir desta quinta-feira (30), ocorra a pavimentação do trecho danificado. A previsão é que a via seja totalmente recuperada e liberada para o fluxo de veículos e pedestres até o próximo sábado (2/07)”, informou o diretor geral de obras da Semopi, Caio Múcio.

Com relação aos constantes alagamentos nas avenidas dos Xavantes, na Cidade Satélite, da Integração em Candelária e Moema Tinoco, no Pajuçara, o diretor geral de obras da Semopi informou que neste caso está em desenvolvimento um projeto de drenagem para solucionar o problema.

O titular da Semdes, Carlos Paiva, disse ainda que as bombas das lagoas do Santarém (zona Norte) e do Jiqui (Neópolis), estão funcionando normalmente. O secretário acrescentou que a população, ao necessitar da Defesa Civil do Município do Natal para casos de emergência, deve ligar para o telefone 190, que integra os diversos serviços emergenciais como Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Samu, entre outros.

Previsão de chuvas

De acordo com a agência Clima Tempo (www.climatempo.com.br), a previsão para esta quarta-feira (29) foi de chuva durante todo o dia, como bem se constatou por toda cidade, com média de 80 milímetros de chuvas, com temperatura oscilando entre 21 graus centígrados a mínima e 25 graus a máxima. Para a quinta-feira (30), a previsão é de sol com muitas nuvens durante o dia e ainda períodos de nublado, com chuva de oito milímetros de precipitações pluviométricas.

Para a sexta-feira (1/07) e sábado (2/07), a previsão do Clima Tempo indica Sol com muitas nuvens durante o dia e períodos de nublado, com chuva a qualquer hora e temperaturas oscilando entre 19 e 20 graus. As intensidades das chuvas devem diminuir, chegando a quatro milímetros na sexta e seis milímetros no sábado. Para o próximo domingo (3/07), a previsão é de sol com algumas nuvens, chovendo rápido durante o dia e à noite, com temperatura entre 20 e 28 graus e três milímetros de precipitação.