Marca Maxmeio

Notícias

Além da manutenção da prática de higienização já recomendada, o professor do curso de Enfermagem orienta sobre a melhor conduta na rotina diária de trabalho

Gradualmente alguns estados brasileiros estão dando início ao processo de reabertura das atividades econômicas, após os sucessivos decretos de suspensão de atividades e isolamento social por causa da Covid-19. Porém, esta iniciativa não é um sinal verde para a retomada da rotina anterior à pandemia. Na verdade, a previsão é de um “novo jeito normal” de viver. Algumas práticas de higiene e distanciamento social devem ser incorporadas no dia a dia de quem retorna ao ambiente de trabalho físico. 

Com ocupação abaixo de 80% nos de leitos de UTI para pacientes de Covid-19 (registrada nesta segunda-feira, 13), a expectativa é que nesta quarta-feira (15) ocorra a reabertura dos estabelecimentos comerciais enquadrados na segunda fração da Fase 1 do cronograma de retomada gradual das atividades econômicas do Governo do Estado. É o caso de bares, restaurantes e lojas com até 600 metros quadrados, entre outros. Contudo, a capital potiguar, assim como as cidades de Mossoró e Parnamirim, já autorizaram a reabertura desses comércios ainda na semana passada. 

De acordo com o professor do curso de Enfermagem da Estácio Natal, Mikael Flambertto, as orientações de distanciamento social devem permanecer como regra geral. “Apesar do reencontro com os colegas de trabalho, por enquanto é bom evitar apertos de mãos ou abraços, por maior que esteja a saudade”, alerta.

Na rotina diária de trabalho também é indicado evitar compartilhar objetos pessoais, como canetas, caneca, computador. Contudo, caso o aparelho eletrônico seja utilizado por diferentes pessoas em turnos distintos, uma boa medida preventiva é limpar o mouse e o teclado com álcool a 70% antes e depois de utilizar equipamento. “Esta limpeza pode ser feita com o álcool líquido, em gel, ou até em spray. Este último tem o uso mais prático e a mesma eficácia”, explica.

Caso a atividade de trabalho demande atendimento a diferentes pessoas, o enfermeiro reforça que os cuidados pessoais continuam os mesmos: lavar bem as mãos e com frequência. 

A correta limpeza das mãos, segundo a Agência de Vigilância Sanitária, segue os seguintes passos: esfregar as palmas e os dorsos das mãos e sem esquecer de entrelaçar os dedos e lavar bem os polegares. Como também, limpar por baixo das unhas, esfregando as pontas dos dedos, e as unhas, na palma da mão oposta fazendo movimentos circulares. 

Ao retornar para casa, o professor recomenda que separe a bolsa, as chaves e o que mais estiver utilizando em um local determinado próximo à entrada da residência.  A orientação é usar álcool 70% em spray para higienizar esses objetos. “As recomendações seguem o mesmo protocolo de higiene. Lave bem as mãos, retire a máscara e higienize as mãos novamente”, reforça.

Sobre as roupas, segundo especialistas, os riscos de contaminação por meio das roupas é bem pequeno, visto que as gotas que transportariam o vírus precisariam ser grandes o suficientes para “pousarem” na roupa. Ou seja, alguém precisaria espirrar ou tossir em cima da pessoa. “Caso alguém tussa muito próximo de você, a melhor coisa é chegar em casa, colocar tudo para lavar e tomar banho. No mais, não precisa de grandes preocupações”, explica. 

Já os sapatos, a sugestão é deixá-los do lado de fora da casa ou usar sempre os mesmos quando sair ao trabalho. Outra ideia é o uso de tapetes de higienização.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Btn Posts Anteriores