Marca Maxmeio

Notícias

O canal traz o universo da cultura nordestina para a primeira infância

Nada melhor que chegar junho no Nordeste, depois desse tempo todo sem festa de São João, e poder acender a fogueira, enfeitar o salão e dançar juntinho! O novo lançamento do canal infantil Bode Bé se chama “Meu Par” e vai ao ar nesta sexta-feira, 24 de junho.
Nessa data mais do que especial para a nossa cultura, a turma do Bode preparou uma quadrilha deliciosa pra tocar alto na sua festa junina e botar a criançada pra dançar! Sangê! Balancê!
O projeto “Bode Bé” foi viabilizado graças ao Programa Djalma Maranhão de Incentivo à Cultura, da Prefeitura do Natal, com patrocínio da Unimed Natal e do Colégio CEI.

SERVIÇO:
Bode Bé
Novo vídeo: Sexta-feira, 24 de junho
Canal: https://www.youtube.com/c/BodeBé/
Siga: @bodebeoficial

Sobre o Bode Bé

Idealizado pelos irmãos Rafael Barbosa e Juliana Linhares, com a produção musical de Beto Lemos e ilustração de Miguel Carvalho, o “Bode Bé” é um canal de vídeos animados que busca trazer a estética regional da cultura nordestina para musicalização infantil das crianças, especialmente na primeira infância. Os personagens que compõe as histórias são sete bichinhos apaixonados pela música nordestina que se uniram em uma família diversa e animada que canta e dança para crianças de todas as idades.

Por Luciana
Sollar Comunicação

PROGRAMAÇÃO DO SÃO JOÃO DE NATAL,  TEVE INÍCIO NESTA QUARTA DIA 22.  

Depois de dois anos sem a fogueira queimar, o São João tem seus festejos confirmados. Em Natal a programação patrocinada pela Prefeitura e Funcarte, acontece de 22 a 26 de Junho reunindo uma série de shows, festival gastronômico, festival de marchinhas e festival de quadrilhas sempre às 18h.

O Festival Faz Mais Elino, que abriu a programação reuniu em sua edição de 2022, shows, premiações e a  4ª edição do Concurso de Marchinhas Juninas, um combo junino em um Arraiá que homenageou o potiguar Elino Julião.

Abertura da programação teve como protagonistas 17 compositores e 12 intérpretes potiguares que representaram as finalistas do Concurso de Marchinha Juninas Faz Mais Elino.

O Festival Faz Mais Elino reuniu participações musicais e shows de Leão Neto, Léo Forró NaManha, Ivando Monte, Rodolfo Amaral e Padre Caio Sanfoneiro.

Além do Concurso de Marchinhas e do Festival, a programação envolveu a entrega da 2ª Edição do Prêmio Elino Julião para nomes da cultura junina e de valorização do Forró tradicional.

O projeto surgiu como um estímulo à essa cultura junina genuinamente brasileira. O Concurso reforça e resgata a antiga tradição das marchinhas juninas, dando oportunidade aos diversos compositores que mostram a cada edição, talento e criatividade.

O Concurso de Marchinhas Faz Mais Elino foi criado em 2018 e homenageia o compositor, intérprete e forrozeiro potiguar Elino Julião, que em 13 de novembro deste 2022 completaria 86 anos. O Concurso, busca contribuir com as tradições do forró, destacando com as marchinhas juninas os compositores, intérpretes e instrumentistas potiguares, promovendo um saudável e importante concurso entre os talentos da nossa música. Após encerramento das inscrições foram selecionadas as 12 (doze) marchinhas que serão apresentadas ao público, na noite de quarta-feira com uma banda de 10 integrantes dirigida pelo músico Raphael Almeida.

A criação do Concurso de Marchinhas Juninas foi um sucesso em 2018, além da participação direta em um simbólico movimento de resgate cultural das marchinhas juninas no Estado, o projeto recebeu nas suas 4ª edições significativas inscrições de marchinhas vindas de vários bairros da cidade, grande Natal e municípios vizinhos.

Com a continuidade do Concurso em 2022 buscamos contribuir para a participação dos compositores e do público de todas as idades em uma brincadeira saudável no São João de Natal, com conteúdo e qualidade artística. Com isso, esperamos que haja renovação e valorização deste gênero, além da ampliação de repertório. Com o “Faz Mais Elino” queremos oferecer reconhecimento e valorização aos compositores, incentivos que podem contribuir para o desenvolvimento artístico, econômico e cultural dos participantes.

O São João é uma grande festa brasileira e que gera importantes resultados para a economia, o segmento parado desde 2020 sofreu as graves consequências da pandemia. O projeto que conseguiu ser  realizado de forma virtual ano passado chega em 2022 com grandes expectativas.

Com produção de Marcelo Veni, através da MV Projetos Criativos, desde a primeira edição os resultados mostraram que esse reconhecimento às manifestações juninas através do concurso e premiações agregadas, merece ser prestigiada com um projeto que as valorize, incentive e projete seus compositores, instrumentistas e intérpretes. 

                                                                                                                                      As marchinhas classificadas pela curadoria, coordenada pelo músico Mirabô Dantas, concorreram a 3,5 mil em premiações, aos troféus “Faz Mais Elino” e serão apresentadas ao lado da Banda das Marchinhas Juninas.

FINALISTAS DA 4ª EDIÇÃO DO CONCURSO DE MARCHINHAS JUNINAS

Título / Autor (es) Intérpretes
Beija-flor de Mandacaru          (DU7 / Chico Sete / Rauzito) DU7
Festa de São João (Francisco Lemos / Cláudio Saraiva) Cláudio Saraiva
Festa Todo Dia                           (Ney César Freitas) Ney & Chimene
Junto Com Você                          (Yrahn Barreto) Yrahn Barreto
Preces de Esperança                 (Luiz Antônio/ Jubileu Filho) Jubileu Filho
Sanfoninha Choradeira (Alexandre Moreira) Alexandre Moreira
São João do Centro Histórico de Natal                                                  (Jamilly Mendonça)           Jamilly Mendonça
São João do Meu Nordeste (Selminha Ferrari) Selminha Ferrari
São João Voltou                     (Beto Cunha) Beto Cunha
Sobe Balão                        (Selminha Ferrari / Henrique Compositor)                      Elton Lins
Sou Quadrilheiro  (Fernanda Azevedo e Jaciel Duarte)              Fernanda Azevedo
Viva o Nosso São João          (Gilson Sanfoneiro) Gilson Sanfoneiro                  

2º PRÊMIO ELINO JULIÃO

Contemplados de 2022

VERA DO PAJUÇARA
PERSONALIDADE DA CULTURA JUNINA

TANDA MACÊDO – RODA DE FORRÓ POTIGUAR
PROJETO DE VALORIZAÇÃO AO FORRÓ

LEONARDO PINHEIRO – FORRÓ NAMANHA
TRAJETÓRIA MUSICAL

Resultado do Concurso de Marchinhas Juninas – Faz Mais Elino 2022.

SANFONINHA CHORADEIRA
( Alexandre Moreira)
Marchinha do Ano – 1º Lugar

SÃO JOÃO VOLTOU
(Beto Cunha)
2º Lugar

SÃO JOÃO DO CENTRO HISTÓRICO DE NATAL
(Jamilly Mendonça)
3º Lugar

INTÉRPRETE DESTAQUE DA EDIÇÃO 2022
Beto Cunha

Livro do engenheiro, pesquisador, professor do IFRN e escritor Manoel de Negreiros será lançado dia 14 de julho, no Iate Clube de Natal. A obra é um documento minucioso de mais de 20 anos de pesquisa, incluindo viagens à sede da construtora Cleveland Bridge & Engineering Company, na Inglaterra 

A Ponte de Igapó sempre foi motivo de fascínio e curiosidade por ser uma das grandes construções da virada do século XX na capital do RN. Erguida graças ao sonho de um brasileiro, à tecnologia e engenheiros ingleses da Cleveland Bridge & Engineering Company, a ponte de ferro começou a ser construída em 1912 e foi inaugurada em 1916, com modelo e bases rigorosas para manter-se durável até hoje. Entretanto, por um erro de avaliação acabou sendo desativada e vendida como ferro-velho no início da década de 70, tirando do cenário e do cotidiano natalense uma das mais bonitas e resistentes vias a interligar a zona Norte ao Centro. Toda essa saga, da construção à tentativa de vendê-la como ferro-velho, pode ser fielmente conhecida nesta biografia definitiva “A História da Ponte de Igapó” (Editora Appris) do engenheiro, pesquisador e professor do IFRN, Manoel Fernandes de Negreiros Neto. O livro será lançado no dia 14 de julho, das 17h às 22h, no Iate Clube de Natal. 

“A História da Ponte de Igapó” é resultado de uma investigação tão minuciosa que é considerada pelo autor como “quase arqueológica”. A obra reúne 25 anos de pesquisa do autor, que fez uma busca de livros e documentos no exterior e até ida à sede da empresa construtora, uma das mais renomadas do mundo em construção de pontes e engenharia estrutural com sede em Darlington. 

São 500 páginas recheadas de detalhes técnicos de engenharia civil centenária, fotos, plantas, cálculos, mapas, datas, fatos e episódios. Há lindos projetos originais e várias fotografias antigas, a maioria inéditas. A publicação foi organizada pelo autor em capítulos, alguns mais técnicos voltados para engenheiros, porém a maior parte é dedicada aos leitores em geral, que amam a História. “É um livro para quem gosta de História e mistérios”, adianta o autor, que foi a fundo em muitas questões elucidando alguns equívocos já divulgados por aí.

Tudo começa em 1912, quando homens, máquinas e dinheiro da Primeira República brasileira, o projeto de um francês e a tecnologia inglesa, iniciaram a construção da primeira ponte sobre o rio Potengi em Natal, capital do Rio Grande do Norte. A Potengi Bridge, ou como conhecemos popularmente a velha ponte de Igapó, foi erguida numa velocidade de fazer inveja a muitas obras arquitetônicas atuais. Bastaram dois anos para a imponente estrutura metálica de grandes treliças transpor o Potengi para se tornar um marco da engenharia até então. 

A ponte foi uma empreitada do engenheiro brasileiro João Júlio Proença, que subcontratou a Cleveland Bridge. O projeto é do engenheiro Georges Imbault. Ou seja, um visionário chegou por aqui vindo de Minas Gerais para investir na região, elaborou um projeto detalhado, foi buscar dinheiro no governo e tecnologia lá fora. 

Se hoje a ponte de ferro é sucata na paisagem, ela foi no passado fundamental para o desenvolvimento da cidade e um modelo da pré-engenharia brasileira que começava a engatinhar. De passagem ferroviária passou a rodoferroviária até ser desmantelada na década de 70, quando então construíram a outra, de concreto.

LANÇAR LUZ

O objetivo do livro é contar de forma mais fiel a história desse monumento tombado pelo setor de patrimônio do Estado do Rio Grande do Norte. Assim como provocar um debate na busca de soluções para o futuro do monumento, que está ameaçado de cair. E, segundo o autor, contribuir com uma futura implantação da disciplina de História da Engenharia no currículo universitário. “Os arquitetos estão bem mais avançados pois existe uma cadeira de História no curso de Arquitetura. Já os engenheiros não têm esse privilégio. Costumo dizer que se existisse uma formação nessa área, os engenheiros do DNIT, na década de 70, não teriam tentado vender a ponte como ferro-velho”, disse o autor. 

NARRATIVA

Além da história em si, o autor traz várias curiosidades. ele conta que na inauguração, em 1916, “o maquinista Manoel Carnaúba perde a coragem de atravessar a ponte com os vagões carregados. Então, um amigo o afaga com uma boa dose de aguardente e logo ele se sente encorajado.Pronto! Deu tudo certo! Ponte inaugurada em 1916. Muita festa! Com a presença de Luís da Câmara Cascudo ainda adolescente, que dali vai se transformar no maior folclorista brasileiro.”  Na parte da engenharia, o que ficou de mais enigmático foram as fundações profundas em tubulões executados a ar comprimido. “Uma técnica desenvolvida em 1910 pela cleveland bridge engineering company. Como um concreto submerso em águas salgadas do potengi resistiu de 1912 até hoje?” O autor pesquisou e encontrou a causa.       

MINIATURAS

Para contribuir com o autor na edição da obra, feita com recursos próprios, Manoel Negreiros preparou kits com miniaturas da ponte e de equipamentos que ele conhece muito bem, como a betoneira. Negreiros é especialista em concreto, vale lembrar. Os kits, assim como o livro, estão em pré-venda e quem quiser adquirir deve entrar em contato com o autor, pelo site www.manoelnegreiros.com ou pelo whatsapp. 

O primeiro kit é a treliça Pratt para montar, em escala 1/87 compatível com trens escala HO. Ponte em MDF, com 61 cm representando um vão de 50 metros. Já o segundo kit é uma Betoneira a vapor de 1912 e uma barrica de cimento. Essa betoneira movida a vapor foi utilizada para confeccionar o concreto utilizado nas fundações.

SOBRE O AUTOR

Manoel Fernandes de Negreiros Neto é engenheiro civil, mestre em estruturas e construção civil pela UFRN. Tem especialização em gestão de negócios pela UFRN e avaliações e perícias de engenharias pela FAL. Professor do IFRN – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. Escritor.

*SERVIÇO*

Lançamento do livro “A História da Ponte de Igapó”, de Manoel Fernandes de Negreiros Neto”. Dia 14 de junho, das 17h às 22h, no Iate Clube de Natal. 

500 páginas, Editora Appris

Preço: R$ 175,00

50 kits de miniaturas também serão comercializados

Assessoria de Imprensa:
Cinthia Lopes Cardoso 

O Arraiá dos amigos terá como atrações José Orlando, o pistoleiro do amor, a cantora Lia Almeida e o forró brega sensação do momento, Corcel 2

Arraiá dos amigos, o arraiá da capitá! Sábado dia 18 de Junho às 20h no Centro de Turismo com José Orlando, o pistoleiro do amor e o forró brega sensação do momento Corcel 2, juntos pela primeira vez!

Além disso a festa terá como convidada especial a cantora brasiliense Lia Almeida, trazendo o melhor da sofrência para Natal. Vai faltar chão! É para recordar! Mesas Limitadas! Informações (84)99862.0202

O grupo Corcel 2 promete um repertório que fará você voltar no tempo, com figurinos estilizados e uma forma autêntica de se apresentar! A banda lançou nas rádios e plataformas digitais três grandes sucesso como Aquele Vinho, Meu Corcel 2 e Quero você! Conheça mais no instagram oficial.

Por Rosinaldo Vieira

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva e pré-candidato a Presidente da República, cumpriu agenda política na tarde e noite desta quinta-feira (16.06.2022) em Natal. À tarde ele visitou os estandes da 1ª Feira Nordestina da Agricultura Familiar, realizada no Centro de Convenções, na Via Costeira, onde conversou com diversos agricultores, vindos de todos os estados do Nordeste.
À noite Lula, junto com a governadora do Rio grande do Norte, Fátima Bezerra, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, além de diversas outras lideranças políticas nacional e local, participaram de um grande ato político, realizado no pátio do estacionamento do estádio Arena das Dunas.
Na ocasião Lula fez uma retrospectiva de das políticas sociais desenvolvidas durante seus dois mandatos como Presidente da República do Brasil (2003 a 2011), principalmente em relação a fome. “Quando eu era Presidente do Brasil, o país saiu do mapa da fome das Organizações das Nações Unidos (ONU) e agora com o governo do presidente Jair Bolsonaro, está mais uma vez voltando para o mapa da fome”, disse o ex-presidente Lula.

Mais um jovem casal surge na cidade, Gabriel Kalki T. Rezende e Lais Costa, ele filho do jornalista Flávio Rezende e Juciara Tinôco, ela de Rogério e Bianca Costa, celebraram união na Kasa & Jardim, diante de amigos e familiares em bonito evento.
O casal segue nesta segunda para Porto Velho, onde Gabriel começa a trabalhar no serviço público federal, após passar num concurso.

Solenidade alusiva à formatura do Curso de Formação de Praças 2021

Evento de formatura militar dos 147 alunos-praças do Corpo de Bombeiros do RN Ginásio Municipal Nélio Dias. Após 10 meses de Curso de Formação, os novos soldados vão permitir a interiorização dos serviços e dar mais agilidade aos atendimentos, o que pode ser o diferencial entre a vida e a morte.