Marca Maxmeio

Notícias

Professor Marcos Guerra, filho do homenageado

 

[nggallery id=1107]

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realizou nesta sexta-feira, 6 de julho, uma cerimônia em comemoração ao centenário de nascimento do professor Otto de Brito Guerra, um dos fundadores da instituição. O homenageado teve uma existência marcada por intensas e múltiplas atividades, como a de jornalista, político, advogado, professor e líder religioso.
Durante o evento, que aconteceu no auditório da Reitoria que leva o nome de Otto de Brito Guerra, um de seus 13 filhos, o professor Marcos Guerra prestou homenagem ao pai. Após a sessão solene, a Editora Universitária lançou a segunda edição do livro Memória Viva de Otto Guerra, uma edição comemorativa contendo a transcrição do Programa Memória Viva, da TV Universitária, realizado em 1982 com o professor homenageado.
Essa edição em livro, organizado pelo professor Tarcísio Gurgel, tem apresentação da reitora Ângela Paiva Cruz, e conta, ainda, com o testemunho de Marcos Guerra, uma minibiografia, uma pesquisa sobre sua produção jornalística feita pela professora Tereza Aranha, uma cronologia sob a responsabilidade de Gildete Moura e uma iconografia.
Vida
Nascido em Mossoró no dia 2 de julho de 1912, filho do magistrado e pesquisador de assuntos regionais Phellipe Guerra, o advogado formado pela Faculdade de Direito de Recife, Otto de Brito Guerra, ocupou diversos cargos públicos, dentre os quais o de 2º Promotor Público de Natal, procurador e advogado da Caixa Econômica Federal do Rio Grande do Norte. Além disso, durante o regime militar, atuou como advogado de presos políticos.
“Por toda a sua vida como homem público, Otto de Brito Guerra notabilizou-se por uma conduta irrepreensível, calcada no respeito às instituições pelas quais passou e na exemplar postura ética com que se conduzia”, afirmou o professor Tarcísio Gurgel, assessor especial da reitoria e organizador dessa segunda edição do livro sobre o homenageado.
Atuou decisivamente na consolidação da Universidade do Rio Grande do Norte – depois Universidade Federal do Rio Grande do Norte – ocupando diversos cargos de direção, entre os quais o de vice-reitor e a titularidade da Reitoria em diversas ocasiões nas administrações de Onofre Lopes e Genário Fonseca. Foi também diretor da Escola de Direito da Instituição, ajudando ainda a fundar a Escola de Serviço Social de Natal.
Advogado, professor, jornalista e escritor, Otto Guerra foi Integrante da Academia Norte-Riograndense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico do RN a e ajudou a criar, também, outras instituições importantes do cenário potiguar, como o Conselho Estadual de Cultura.
“Sua atuação como pesquisador das questões regionais – particularmente dos problemas ligados à economia e à questão da seca, tal como fizera o seu pai – resultou num conjunto de artigos tido como de absoluta relevância pelo escritor Américo de Oliveira Costa, que durante a entrevista do “Memória Viva” na TV Universitária cobra a sua reunião em livro”, afirmou Tarcísio Gurgel, para quem essa homenagem a Otto Guerra é um resgate da memória institucional e de uma vida exemplar.
Otto de Brito Guerra faleceu em Natal, no dia 16 de março de 1996.

Deixe um comentário

Btn Posts Anteriores