Marca Maxmeio

Notícias

 

O Geoparque Seridó avançou com uma importante questão para evolução das ações de desenvolvimento sustentável, de educação e turismo nos seis municípios que compõem o território: a definição do modelo de gestão. Durante três horas de reunião no Centro de Convenções, na tarde de ontem (17) entre Secretaria de Estado do Turismo (Setur RN), representantes municipais e entidades privadas, o modelo de consórcio foi aceito como o mais viável para o projeto.

 

“O Geoparque já funciona e inúmeras ações já foram implementadas, com engajamento cada vez maior da comunidade. Desde o início desta gestão foi uma bandeira do turismo. No entanto, a definição do modelo de gestão é fundamental para outros avanços, que incluem a própria efetivação do Geoparque junto à Unesco, já que o projeto existe de fato, mas não de direito”, destacou o secretário estadual de Turismo, Manuel Gaspar.

 

O professor da UFRN Marcos Nascimento, à frente do projeto de implementação do Geoparque há quase dez anos, comemorou o resultado da reunião: “Só ouvi elogios de prefeitos à reunião de ontem. Ficou claro que municípios consorciados poderão trabalhar mais unidos a favor do território e, via câmera temática, envolver outras instituições e órgãos, como o poder público, universidades, iniciativa privada, terceiro setor e representantes de comunidades”.

 

A ideia é que o Geoparque Seridó funcione como uma câmera temática dentro do Consórcio Público Intermunicipal do Rio Grande do Norte (Copirn). Dessa forma, evitaria a burocracia e as despesas inerentes à criação de um novo consórcio. Outra vantagem apontada pelo professor Marcos Nascimento é que o Copirn já tem como consorciados, por coincidência, os seis municípios do Geoparque: Cerro Corá, Lagoa Nova, Currais Novos, Acari, Carnaúba dos Dantas e Parelhas.

 

A batalha junto à Unesco é mais demorada, mas também tem avançado. Para se tornar membro do Programa Mundial de Geoparques será preciso entrega de uma carta de intenções. Depois demora pelo menos um ano para submissão do dossiê junto à Unesco. Daí, mais oito ou dez meses para avaliação e visita dos consultores da Unesco ao território e mais um ano para efetiva aprovação no Programa.

 

“É um processo demorado, mas não temos pressa para isso. Temos, sim, para levar a todos do Seridó um desenvolvimento territorial sustentável, com base na conservação, na educação e no turismo, em favor das comunidades locais. E isso nós temos feito, com apoio do Governo do Estado por meio da Setur, da Emprotur e da Procuradoria Geral do Estado”, concluiu Marcos Nascimento.

 


Assessoria de Comunicação SETUR/EMPROTUR

Sergio Vilar

Menus completos foram preparados por alunos de gastronomia e usam como ingrediente comum a macaxeira

Com a intenção de apresentar a gastronomia como uma arte, o Shopping Cidade Jardim hospeda a Mostra Fotográfica Gastronômica que ocorre no dia 25 de maio (sexta-feira), das 9h às 21h. A exposição conta com imagens de 36 preparos de menu completo – entrada, prato principal e sobremesa – que apresentam em comum um dos principais ingredientes regionais: a macaxeira.

Todos os pratos foram produzidos por alunos do 3º período do curso de gastronomia da Unifacex e sob a coordenação da professora e nutricionista Camila Moreira. “Sabemos que a gastronomia é muito sensorial e queríamos enfatizar o aspecto visual disso. Queremos deixar em foco a apresentação dos pratos, que é algo superimportante e, algumas vezes, acaba como uma preocupação secundária”, explica.

A ideia surgiu na disciplina de Práticas Integrativas, que reúne os conhecimentos adquiridos em todas as disciplinas do semestre. “Nós definimos os critérios da avaliação e os estudantes criaram os pratos com base no que eles aprenderam nas aulas. Dessa forma, temos preparos com características de escolas gastronômicas asiáticas, mediterrâneas e outras. O resultado ficou tão bacana que decidimos fotografar para divulgar as ideias”, conta.

No dia da Mostra, os grupos que realizaram as preparações estarão presentes para informar sobre os pratos e repassar as receitas para quem quiser replicar. O trabalho foi orientado pela da coordenadora do curso de gastronomia, Kaliane Souza, e conta com o apoio do Cidade Jardim na divulgação. “Acreditamos que é uma iniciativa diferente e inovadora. Nosso público certamente aproveitará o conteúdo visual e as dicas”, defende a gerente de marketing do shopping, Amélia Dutra.

 


Assessoria de imprensa do Shopping Cidade Jardim
Acarta Comunicação
Tainá Rodrigue

 

Crianças e adolescentes têm a oportunidade de participar de uma oficina gratuita ministrada pela escola potiguar referência em tecnologia Robô Ciência neste sábado, 19, no Parque das Dunas, também conhecido como Bosque dos Namorados (Av. Alm. Alexandrino de Alencar, Tirol). A aula prática acontece a partir das 15h e faz parte da programação de mais uma edição da Ciranda Materna, um evento voltado para futuras mães e famílias, que contempla opções de lazer com atividades diversas para adultos e crianças.

Mães, pais e filhos poderão usufruir da programação familiar que começa às 09h e inclui yoga, contação de histórias, bate-papo sobre “Segurança em Casa”, almoço no formato de piquenique, oficinas de carimbos e, para finalizar o dia, os pequenos podem aprender a montar e programar robôs com a equipe de especialistas da Robô Ciência, escola de tecnologia que desenvolve um sistema de ensino e aprendizagem em dezenas de escolas no Rio Grande do Norte e outros estados do país com o objetivo de facilitar por exemplo, o ensino da matemática e de cálculos diversos.

 


Letra A Comunicação – Assessoria de Imprensa

Um evento literário com inclusão social na Cidade da Criança neste domingo (20) a partir das 15h30 será lançado o livro “Bonito é se gostar” que conta a história de Dandara, cujo ensinamentos da sua sábia avó Dandinha, consegue superar o preconceito que sofria por conta de seu cabelo encaracolado. A obra, assinada pela escritora Drika Duarte e editada pela Editora CJA, aborda temas como autoestima, autoconfiança, ancestralidade, respeito à diversidade, preconceito e empoderamento feminino.

O evento é promovido pelo Centro de Promoção Cultural da Fundação José Augusto –(CPC/FJA).

 A autora Drika Fuarte nasceu em 1985 em Natal/RN. É formada em Artes Cênicas e tem Pós Graduação em Gestão Cultural – desenvolvimento, cultura e mercado. Foi fundadora do “Elegia e seus Afluentes”, grupo ceno-performático-musical, unificando cenicamente a poesia recitada e musicada. Publicou os livros de poemas: “Almas Brancas” (2008), “70 vezes 7” (2010), “A Arte de Nascer – para mães e bebês”, em parceria com a médica Carolina Damásio (2012), Negra Onawale (2014), os infantis “Guerreiros do Planeta – os elementos” (2016) e “Bonito é se gostar” (2018).

O livro tem ilustrações de Flávia Duarte que já trabalhou em Zines e Collabs com ilustradores da região.

“Todos contra o abuso infantil”. O chamamento da Assembleia Legislativa está nas ruas em forma de campanha publicitária e foi oficializado na manhã desta sexta-feira (18), durante a audiência pública realizada na Casa, que mobilizou instituições. Os números do problema são estarrecedores: no Rio Grande do Norte, a cada dois dias, ao menos uma criança é abusada sexualmente. Dados nacionais da Ouvidoria dos Direitos Humanos apontam o Estado com o maior número de casos de abuso comprovados, quase 2 mil ao ano.

Meninas, em sua maioria, são as vítimas (68%). O agressor, quase sempre, um parente muito próximo, do círculo familiar (80%). O abuso infantil é silencioso, sorrateiro e acinzenta uma fase da vida em que só as brincadeiras e sonhos deveriam colorir os dias. Medo, insegurança e sentimentos de inadequação e culpa confundem, talvez por toda a existência, a mente das vítimas, assustadas por quem lhes deveria dar amor e proteção. Durante o debate, familiares de vítimas relataram histórias e emocionaram os participantes com seus depoimentos.

A data é emblemática: 18 de maio é o Dia Nacional de Combate à Exploração Infantil. O debate foi uma iniciativa conjunta do presidente da Casa, deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), com os colegas Hermano Morais (MDB) e Márcia Maia (PSDB), que preside no Legislativo do RN a Frente Parlamentar da Criança e do Adolescente. A Assembleia soma esforços para combater uma violência que alcança uma média anual de 586 crianças e adolescentes potiguares, de acordo com o Ministério dos Direitos Humanos.

“Este tema deve ser relembrado a todo instante para que este mal seja extirpado do seio da sociedade. Para a criança é importante que ela tenha estrutura e apoio, proporcionados por núcleos como a família, a escola e a sociedade. Quando um desses núcleos falha, as consequências são muito graves, principalmente se for a família, pois o ambiente protetor é fundamental para a criança e o adolescente, que, sem esta linha de proteção, ficam vulneráveis”,  defendeu Ezequiel Ferreira.

Titular da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), Dulcineia Costa chamou a atenção para um dado ainda mais preocupante: mesmo altos, os números estão subnotificados, porque nem toda agressão vira denúncia. “Temos casos que culminaram em morte, menos comum dos que os atendimentos nas delegacias, mas nosso 18 de maio acontece todos os dias”, afirmou. Em 2017 a delegada instaurou 140 inquéritos para apurar esse tipo de abuso.

A deputada Márcia Maia afirmou que esta luta deve ser diária: “É preciso por fim a essas histórias e punir os autores dessa violência. Que tenhamos uma realidade onde crianças possam ser realmente crianças, sem medo dos monstros que a espreitam”. Para o deputado Hermano Morais, esta causa pertence a toda a sociedade: “Esse problema foi abraçado nesta Casa há muito tempo e agora de forma proativa, com o lançamento desta campanha. Chega de impunidade”, afirmou.

A psicóloga infantil da Assembleia Legislativa, Helga Torquato, chamou atenção para alguns sinais que podem indicar que a criança ou adolescente está sofrendo abuso. Entres as alterações de comportamento estão o choro repentino, pesadelos e repulsa a uma pessoa que era do convívio. “É preciso observar os sinais, pois nem sempre os denunciantes são familiares, já que o abusador pode estar dentro da família. São marcas que podem trazer consequências para vida adulta”, disse Helga.

Durante a audiência o publicitário Renato Quaresma, da agência responsável pela produção das peças visuais, parabenizou a Casa pela utilização de verba pública numa campanha de tamanha importância. Também participaram do evento as deputadas Larissa Rosado (PSDB), Cristiane Dantas (PPL), a promotora da Infância e Juventude, Juliana Alcoforado, a vereadora Júlia Arruda (PDT), presidente da Frente Parlamentar em Defesa das Crianças e dos Adolescentes, na Câmara Municipal de Natal, o advogado Paulo César Ferreira, que preside a Comissão da Infância da OAB, além de representantes do Governo do RN, Ministério Público, OAB, entre outras instituições.

CAMPANHA
A campanha que já está nas ruas tem peças em vídeo, gibis, cartazes, além de mídia em TV, rádios, impressos e redes sociais. Com o slogan “Para algumas crianças, monstros existem”, a campanha chama a atenção não só de pais de vítimas, mas de toda a sociedade. Todo o material pode ser acompanhado através do perfil @assembleiarn.

Dentro da programação da 4• feira de fotografia, que ocorrerá nos dias 19 e 20 de maio, a prestigiada advogada Rafaela Marinho apresentará a palestra “Fotografia e Direito Autoral na Era Digital”, com dicas valiosas sobre o que pode e o que nao pode ser feito no uso de imagens de terceiros na internet, ao custo de apenas R$ 20,00. Imperdível para fotográfos, operadores do Direito e estudantes de várias áreas. No Museu Câmara Cascudo, às 19h do sábado e 18h do domingo.

Quero aproveitar para deixar um recado para os candidatos e coordenadores de campanhas. E o recado ou pedindo, como acharem melhor, não é somente para Jair Bolsonaro não, é para todos. Avisem aos seus seguranças para deixarem os profissionais de imagem trabalhar. Estou falando dos PROFISSIONAIS. Principalmente os repórteres fotográficos e cinematográficos. Pode até pedir a identificação, mas pelo amordeDeus não atrapalhem quem está ali para contribuir.

Programação gratuita com diversas atividades voltadas para o bem estar
Em Natal acontecerá o Pilates Day, um evento celebrado mundialmente no mês de Maio, que visa promover a valorização e conscientizar o público sobre o método Pilates.
Para quem pensa em começar a fazer Pilates se trata de uma excelente oportunidade de conhecer o método composto por exercícios físicos e alongamentos que utilizam o peso do próprio corpo na sua execução.
Nesse ano, o Pilates Day é fruto de uma parceria entre a Posture Estúdio de Pilates e o Hotel Porto do Mar. Será um evento totalmente gratuito!  Para participar, basta inscrever-se através dos contatos divulgados.
Na programação: aulões de Pilates, yoga; auriculoterapia; massagem; aferição de medidas antropométricas e retirada de dúvidas nutricionais; degustações; sorteios e além disso, os participantes poderão usufruir da área de lazer do Hotel, imperdível!
SERVIÇO:
 
Pilates Day
Data: 19/5/2018 (sábado)
Horário: 9h às 11h
Local: Hotel Porto do Mar, via Costeira, 455.
Inscrições gratuitas:
(84) 99451-4451
(84) 2010-7800
No pronunciamento que fez durante a sessão plenária desta quarta-feira (16), o deputado Hermano Morais (MDB) chamou a atenção para o problema da segurança pública no RN. O parlamentar citou um comunicado da Associação dos Delegados da Polícia Civil (Adepol) informando sobre a suspensão dos plantões em vários municípios.

“Recebi este comunicado, que gera uma preocupação. Se a insegurança já está grande, imagine com essa suspensão dos plantões que os delegados já faziam de forma voluntária”, alertou o parlamentar.
Hermano citou que os profissionais que atuam na segurança pública do Estado estão acumulando problemas, como o déficit nos efetivos. “Têm delegados que respondem por vários municípios, pois há um grande déficit e profissionais e eles estão cansados de aguardar pelo concurso anunciado. Chegaram ao ponto em que a categoria resolve tomar essa decisão e a população fica ainda mais desassistida”, preocupa-se o deputado.

Hospitais
O deputado também reforçou convite para a audiência pública que irá acontecer na tarde desta quarta-feira, na Assembleia Legislativa, sobre o fortalecimento dos hospitais. O debate é uma proposição conjunta do seu mandato juntamente com os deputados Gustavo Fernandes (PSDB) e Márcia Maia (PSDB).

“O clima anda pesado, em locais como João Câmara e São Paulo do Potengi, onde as prefeituras estão sem condições de receber os pacientes, como propõe a Secretaria Estadual de Saúde”, afirmou Hermano. O deputado também citou que a própria gestão estadual está com déficit de recursos humanos e sem recursos para abastecimento.

Hermano Morais relatou que no caso de João Câmara, as gestantes precisam se deslocar a Macaíba, com dificuldades de transporte e de recursos. “Temos que avaliar essas medidas, não podemos deixar a população desassistida. Por isso o debate é importante para ouvir a palavra dos técnicos, gestores e servidores, mas o interesse maior é a prestação de serviços à população que depende do SUS, por não ter plano de saúde”, afirmou.

A Assembleia Legislativa promoveu, na tarde desta terça-feira (15), uma discussão sobre a importância da atuações dos terapeutas ocupacionais em unidades de saúde no Rio Grande do Norte, assim como a necessidade de valorização dos profissionais da área. Proposta pelo deputado Hermano Morais (PMDB), o encontro mostrou números sobre a profissão no estado e propôs ações para ampliar a possibilidade de formação de novos profissionais e absorção pelo mercado de trabalho.

A terapia ocupacional é uma profissão da área da saúde que promove prevenção, tratamento e reabilitação de pessoas com alterações cognitivas, afetivas, perceptivas e psico-motoras, que podem ser decorrentes ou não de distúrbios genéticos, traumáticos ou de doenças adquiridas. A atividade de um terapeuta ocupacional é voltada para a pessoa e seu grupo social, com objetivo de ampliar o campo de ação, desempenho, autonomia e participação, considerando recursos e necessidades de acordo com o momento e lugar, estimulando condições de bem-estar e autonomia. Por meio do fazer afetivo, relacional, material e produtivo o profissional contribui com os processos de produção de vida e saúde.

Apesar da importância da atuação dos profissionais, o espaço ocupado pelos terapeutas ocupacionais nas unidades de Saúde do Rio Grande do Norte é pequeno, assim como também ocorre a formação de poucos profissionais no estado. Para Hermano Morais, é preciso que esse cenário seja alterado.

“Sabemos da importância da profissão, mas ainda vemos poucos hospitais com terapeutas ocupacionais em número suficiente em seus quadros. Além disso, é importante que se formem mais profissionais da área, o que só será possível com a abertura de novos cursos”, disse o deputado Hermano Morais.

Com diversos representantes da categoria no auditório da Assembleia Legislativa, os profissionais falaram sobre o momento atual da profissão no estado. Segundo o presidente da Associação dos Terapeutas Ocupacionais do Rio Grande do Norte (Atorn), Igor Daniel, nenhum hospital no estado, seja na esfera municipal, estadual ou federal, tem número adequado de profissionais da área nas escalas de trabalho.

De acordo com a Atorn, o hospital João Machado, em Natal, conta com somente um terapeuta ocupacional, enquanto há mais de 350 leitos na unidade. Já no Hospital Universitário Onofre Lopes, onde mais de 25 mil atendimentos são realizados mensalmente, também há somente um terapeuta ocupacional atuando.

“É um hospital onde temos grande número de pacientes que chegam com acidentes vasculares cerebrais. Não está se preocupando com o paciente após a operação. Infelizmente, não há como o terapeuta ocupacional desenvolver seu trabalho nessa situação”, criticou o representante da categoria.

Se por um lado há a falta de espaços para os profissionais atuarem, também há a queixa quanto à falta de um curso na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) voltado para formar profissionais da área. O diretor da Faculdade de Ciências da Saúde do trairi (Facisa/UFRN), Edvaldo de Carvalho Filho, concordou com a necessidade de se implantar o curso e disse que, inclusive, já há o projeto para implantação da graduação na universidade. No entanto, de acordo com ele, ainda restam trâmites burocráticos junto ao Ministério da Educação (MEC), que devem ser alvos da atuação dos parlamentares federais potiguares para que a implantação tenha andamento.

“Sabemos do trabalho do deputado Hermano Morais em contribuir com o tema, mas queremos também que os deputados federais e senadores, que têm trânsito em Brasília. É um curso extremamente importante para o estado e precisamos clamar aos nossos representantes para que atentem para a importância de implantação do curso na UFRN”, disse Edvaldo de Carvalho Filho.

Ao fim da reunião, quando diversos profissionais apresentaram dados que mostraram a necessidade de valorização da profissão, os representantes da audiência concordaram em buscar encontros com prefeituras, Estado e com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) para discutir a possibilidade de ampliação das vagas aos terapeutas ocupacionais. Além disso, também buscarão a implantação de novo curso em Natal.

“É uma atividade extremamente importante e podem contar com nosso apoio para a valorização dos profissionais terapeutas ocupacionais no Rio Grande do Norte”, disse Hermano.