Marca Maxmeio

Resultado da busca por: Chuvas

19 de março de 2014 às 14:21

EMPARN registra fortes chuvas de até 100mm

Emparnchv19314

Maiores precipitações nas últimas 24 horas ocorreram no Oeste potiguar

 

Continua  chovendo com intensidade em todo o Rio Grande do Norte, de acordo com o registro das últimas 24 horas (7 h da manhã de ontem até às 7 h da manhã de hoje) em 86 pluviômetros monitorados diariamente pela Gerência de Meteorologia da EMPARN (Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte). Foram registradas chuvas acima de 100 milímetros, como em Portalegre (106,0 mm) e, em todo o Alto Oeste.

Também choveu nos municípios da região Oeste, como em Caraúbas (96,8 mm); Rafael Fernandes (62 mm); Água Nova e Frutuoso Gomes (60 mm, em cada um); Felipe Guerra (58 mm); Tabuleiro Grande (52 mm); Choveu também em Viçosa (51,3 mm); Umarizal (50,4 mm); Itaú (48 mm); Riacho de Santana (45,5 mm); Olho D’Água dos Borges e Severiano Melo (42 mm, cada), entre outros municípios da região, como em São Francisco do Oeste, Serrinha dos Pintos, Rafael Godeiro, Coronel João Pessoa, Apodi, Lucrécia, Francisco Dantas, Patu, Rodolfo Fernandes, Dr. Severiano, José da Penha, São Miguel e Venha Ver.

No região Central choveu em Cruzeta (64,4 mm); Caicó (58, mm); São João do Sabugi ( 56 mm);  Açude Itans (55,2 mm); Santana do Seridó (54,2mm); São José do Seridó (46 mm), entre outros. No Agreste e no Leste as chuvas foram menos intensas, tendo chovido mais em Parnamirim (13,2 mm) e Natal (12,8 mm).

As chuvas ocorridas desde o início de março têm sido ocasionadas pela presença da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que é o principal Sistema Meteorológico responsável pela ocorrência de chuvas na Região Nordeste do Brasil no período de fevereiro a maio. Diferente dos dois últimos anos (2012 e 2013), este ano as condições dos oceanos Atlântico e Pacífico estão favoráveis, favorecendo a ocorrência de instabilidades tropicais associadas à ZCIT.   Na figura, com a chuva acumulada no Estado entre os dias 1º e 19 de março, observa-se que em praticamente todo o território ocorreram boas chuvas, com destaque para o Alto Oeste, Vale do Assu e Seridó. Para os próximos dias é esperado que as chuvas continuem ocorrendo em todas as regiões do Estado, devido a presença da ZCIT.

13 de março de 2014 às 17:35

EMPARN registra mais chuvas no interior

Boletim Pluviométrico com chuvas em 75 postos

 

Entre as 7h de ontem (12), até as 7h da manhã de hoje (13),  foram registradas chuvas em todas as regiões do Estado. O boletim pluviométrico da Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) registrou chuvas em 75 postos de medição. Na região Oeste continua chovendo em Martins (25 milímetros), Encanto (19mm) e Serra do Mel (18,4mm) entre outros municípios da região, como  Serrinha dos Pintos, Mossoró, Janduís  e Carnaubais.

No Seridó,  onde ocorreram as maiores chuvas nas últimas 24 horas, choveu em Carnaúba dos Dantas (42 milímetros),  Acari (40mm) e Florânia 19mm. Também foram registradas chuvas em mais quatorze postos, entre eles Ouro Branco, Parelhas e Caicó. No Agreste, chuvas em  Vera Cruz (18,5), Serra de São Bento (15mm) e, ainda, em Passa e Fica, Monte das Gameleiras, Serrinha, Bom Jesus e Lagoa de Pedras, entre outros municípios. No Leste potiguar as maiores chuvas ocorreram em Senador Georgino Avelino (25,8mm), São Gonçalo do Amarante (23,5mm),  Canguaretama  (14,9mm) e  Natal (13,7mm).

De acordo com a meteorologia da EMPARN, para esta quinta-feira as instabilidades associadas à presença da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) deverão predominar sobre o Estado, deixando o céu com predominância de parcialmente nublado, com ocorrência de chuvas em todas as regiões, principalmente no interior.

Gargalheirasseca14

IMG_0715b

 

A equipe de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) apresentou à imprensa, na manhã desta sexta-feira (21), no auditório da Governadoria, o relatório da análise e previsão climática para o Rio Grande do Norte para o período de março a maio de 2014.  A perspectiva é que as chuvas no Estado atingirão os níveis de normalidade, entre 301 e 401 milímetros.

 

“A notícia é boa e vamos torcer para que essa expectativa se confirme. Todavia, nós vamos ter que continuar com algumas medidas para repor os reservatórios de água de alguns municípios”, disse a Governadora Rosalba Ciarlini, que esteve presente na apresentação.

A Chefe do Executivo Estadual garantiu que vai continuar com os programas de combate a seca, uma vez que muitos municípios ainda estão em situação de emergência, devido à estiagem ocasionada em 2012 e 2013. A Governadora também afirmou que vai se empenhar em ações como a perfuração de poços, construção de adutoras e barragens para manter a distribuição regular de recursos hídricos à população potiguar. Ações como a implantação da Barragem de Umarizeira beneficiará os municípios da microrregião de Umarizal.

 

De acordo com Gilmar Bistrot, meteorologista da Emparn, a previsão é de 45% que os índices pluviométricos atingirão níveis normais no Rio Grande do Norte.  Entretanto, a previsão para ser abaixo do normal é de 30% e acima do normal, 25%.

 

O especialista explica que a possibilidade de normalidade das chuvas acontece devido às temperaturas do Oceano Atlântico e Pacifico, nos quais apresentaram um comportamento próximo do normal. Uma mudança desse resultado pode acontecer, caso ocorra alterações no Oceano Atlântico.

 

Esse documento é o resultado dos estudos da III Reunião de Análise e Previsão Climática para o Norte do Nordeste do Brasil, que teve a participação de representantes dos centros estaduais de meteorologia do Nordeste, como Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE), Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (FUNCEME), Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), e instituições afins.

 

Durante o mês de março, será realizada, no estado de Pernambuco, a I Reunião de Análise e Previsão Climática para o Setor Leste da Região Nordeste, além de reavaliar as condições para o Norte da Região Nordeste, com coordenação da Agência Pernambucana de Água e Clima (APAC).

 

 

Assecom do Governo do RN

IMG_5695

Chuva de 100 milímetros em Jucurutu no distrito de Boi Selado e dois pequenos açudes não suportaram o volume das águas.

 

As previsões de chuva para os próximos cinco dias, no semiárido potiguar, emitida pelo setor de meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn) na sexta-feira, 20, está se confirmando. Entre a tarde de sexta-feira, 20, e madrugada de ontem, vários municípios do Rio Grande do Norte, principalmente os localizados na região Seridó, com precipitações que variaram de 20 a 90 milímetros. Em Jucurutu, pequenos e médios açudes chegaram a sangrar.

Leia mais clicando em Tribuna do Norte

19 de dezembro de 2013 às 22:12

EMPARN registra chuvas no interior do Estado

Atuação de um Vórtice Ciclônico trouxe chuvas de até 35 milímetros

A Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) registrou a ocorrência de chuvas, nas últimas 24 horas, em várias regiões do Estado, em decorrência de um Vórtice Ciclônico de Ar Superior (VCAS), que está atuando no Oceano Atlântico. Esse fenômeno pode atuar de dois a três dias, segundo os meteorologistas.  Em novembro foi registrada nos dias 4 e 5, a presença de um vórtice que trouxe chuvas ao litoral e interior do RN.

Na Mesorregião Oeste Potiguar foram registradas chuvas, entre outros, nos municípios de Pau Dos Ferros, com 35 milímetros; Tenente Ananias  30,0; Coronel João Pessoa com 25,0mm, em Venha Ver, 25,0mm; São Miguel,  20,8mm; Luis Gomes, 20,0mm; Martins, 12mm; Janduis, 10mm; Portalegre, 7,0.

Na Mesorregião Central Potiguar, as chuvas foram registradas, entre outros, nos municípios de Serra Negra do Norte, 28,0mm; Carnauba dos Dantas, 10,8mm; Santana do Serido,  9,1mm; Jardim de Piranhas, 8,4mm e Cruzeta (Base Fisica da Emparn), 6,3mm.

 
EMPARN – Gerência de Transferência de Tecnologias e Comunicação
– Assessoria de Comunicação –
    

Registro de boas chuvas em várias regiões no final de semana.

Meteorologia prevê chuvas mais fracas no Estado nos próximos dias.

 

A Gerência de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) registrou boas chuvas no último final de semana em várias regiões do Estado, inclusive no Oeste e no Seridó. O meteorologista Gilmar Bristot explica que as chuvas são decorrentes de frentes frias e instabilidade de origem oceânica que chegam ao interior provocando chuvas no mês de julho.

O meteorologista informa que para a semana passada “A predominância foi de céu parcialmente nublado a claro com ocorrência de pancadas de chuvas sobre as regiões Leste e Agreste, devido a atuação da brisa e instabilidades de origem oceânica.  Nas demais regiões predominou a condição de céu parcialmente nublado a claro com  ocorrência de chuvas isoladas”.  Para a semana que está começando a previsão é de ocorrência de chuvas com menor intensidade.

De sexta(12) para esta segunda-feira (15), a EMPARN registrou boas chuvas em Coronel João Pessoa, com 44 milímetros; São Francisco do Oeste (30mm); Frutuoso Gomes (30mm) e Ipanguaçu (30mm). Choveu ainda em Patu, Açu, Luis Gomes, Grossos, Lucrécia, Serra do Mel e São Rafael. No Agreste choveu em São Pedro (55mm); Serra de São Bento (52mm); Passa e Fica e Campo Redondo, com 44mm em cada município. Também choveu forte em Baia Formosa (57mm) e Canguaretama (47,8mm). Mais informações na página da meteorologia no site da EMPARN. 

EMPARN – Gerência de Transferência de Tecnologias e Comunicação
– Assessoria de Comunicação –
(84) 3232-5871

Apesar das chuvas que caem ininterruptamente desde a madrugada desta quinta-feira, 06, a situação da cidade está sob controle, é o que informa o secretário adjunto da Defesa Civil e Direitos Humanos da Prefeitura de Natal, Urbano Medeiros. Segundo ele, além do acompanhamento habitual está sendo feito paralelamente uma vistoria geral em todas as lagoas para ver se houve algum incidente ou se alguma delas corre risco eminente de transbordamentos.

“A Semdes está fazendo o acompanhamento de sempre visto que não foi registrado nenhum sinistro na área de Defesa Civil. O que houve até o momento foi alguns alagamentos de ruas que não dizem respeito ao órgão”, revela Paulo Henrique, Chefe do Setor de Defesa Civil e Vistorias Preventivas. Ele esclarece que independente de estar chovendo ou não, a secretaria é responsável pela vistoria diária em áreas de riscos: lagoas e encostas.

Com esse objetivo, revelou que o grupo de ação e emergência da Semdes, formado por cinco pessoas que ficam de plantão 24 horas por dia, estão nesta manhã vistoriando as lagoas da Zona Norte e na parte da tarde, os reservatórios das zonas Sul e Leste. Entre as que merecem maior atenção, citou as lagoas de Pirangi, Neópolis, Carcará (na Avenida Seis) e do Preá, em Nova Descoberta.

Levantamento

A Semdes concluiu recentemente um levantamento sobre a situação das 55 lagoas de captação existentes na cidade. “Estamos agora comunicando as secretarias municipais esses resultados a fim de que sejam realizadas ações de limpeza e manutenção nos locais onde foram detectados riscos”, ressaltou Paulo Henrique. Entre as principais ações que deverão ser realizadas destacou à limpeza geral da área da lagoa, manutenção das bombas e conserto de cercas.  

Paulo Henrique adiantou, ainda, que em função da necessidade de uma ação emergencial o trabalho já foi iniciado na Lagoa do Taraucá  Conjunto Santarém, reservatório que apresentou maiores problemas. A referida ação conta com a parceria conjunta da Semdes, Secretaria Municipal de Obras Públicas e Infraestrutura (Semopi) e Companhia de Serviços Urbanos de Natal (Urbana). “Depois da Lagoa do Taraucá serão beneficiadas as lagoas do Preá e do Nova Natal, entre outras”, frisou ele.

 

 Secretaria Municipal de Comunicação
14 de março de 2012 às 13:37

Chuvas alagam ruas de Petrópolis

Com as fortes chuvas que  cairam na manhã desta quarta-feira (14) em Natal, muitas ruas ficaram alagadas, entre elas o largo do Atheneu e Av. Afonso Pena. Muitas pessoas que deixaram seus carros estacionados nessas áreas tiveram a surpresa de encontra-los dentro das lagoas quase que totalmente alagados.

 

05 de março de 2012 às 14:10

Chuvas confirmam previsão da meteorologia

No primeiro mês do ano choveu mais de 100 mm em diversos municípios

 

Levantamento feito pelo Setor de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) confirma o início do inverno no semiárido potiguar, com chuvas acima de 100 milímetros em diversos municípios, principalmente, na região Oeste. A meteorologia da EMPARN acompanha diariamente o período chuvoso no Estado e constata que no município de Viçosa, em janeiro, as chuvas acumuladas atingiram 264,3 milímetros, seguido de Martins com 232 mm e de Venha Ver com 189 mm. Também foram registradas boas chuvas em Rafael Fernandes (184mm); Tenente Ananias (117 mm) e Encanto (77mm).

 

Reunião

Nos dias 17 e 18 de fevereiro, meteorologistas dos núcleos estaduais do nordeste se reuniram em Natal para fazer a previsão climática para o período chuvoso da região. Na divulgação dos resultados obtidos na IV Reunião de Análise Climática para a região Nordeste do Brasil, o gerente do Setor de Meteorologia da Emparn, Gilmar Bristot, apresentou o relatório final da reunião. “Nós conseguimos entregar para o Governo do Estado uma previsão bem elaborada, bem discutida e que possivelmente vai possibilitar uma boa orientação para os diversos setores da sociedade”, disse o meteorologista, destacando principalmente a Agricultura, os Recursos Hídricos e a Defesa Civil, atividades que estão ligadas diretamente com as condições de chuva.

 

De acordo com o relatório apresentado, as chuvas aqui no Estado ocorrerão de forma normal. “Principalmente nas regiões Oeste, Central e parte da região do Agreste, onde agora acontecem as chuvas”. Segundo Gilmar Bristot, a normalidade significa que as chuvas poderão ter uma distribuição regular. “Algumas áreas poderão ter chuvas a mais e outras deverão ter chuvas a menos. No total, no final do período chuvoso, nós teremos a condição de normalidade, que para o estado do Rio Grande do Norte é em torno de 600 a 650 milímetros”, finalizou.