Marca Maxmeio

Notícias

O presidente da Sociedade dos Amigos da Marinha – Soamar-RN, Paulo Cesar Dantas Fernandes promoveu a primeira reunião de diretoria da entidade do ano de 2022, nesta sexta-feira (25) na sede do Comando do 3° Distrito Naval . Paulo Cesar explicou que estão previstas várias ações em conjunto com a Marinha. O comandante do 3° Distrito Naval, almirante André Moraes enfatizou a importância da Soamar do Brasil e do RN para ações parceiras. Os convidados foram recepcionados com um coquetel.

A Polícia Civil do RN publicou nos últimos dias uma série de portarias com remoções de policiais civis de delegacias municipais e especializadas, com o objetivo de preencher os quadros das plantões. O problema é que, segundo a Associação dos Delegados da Polícia Civil (Adepol), essas mudanças têm causado várias interrupções em processos investigativos que estavam em curso, além de resultar no corte ainda maior no efetivo já defasado das unidades investigativas.

Segundo levantamento que a Adepol teve acesso, só em Mossoró, já foram removidos um delegado e dois agentes da Delegacia de Furtos e Roubos (Defur); um agente da Delegacia de Narcóticos (Denarc); um delegado, um agente e um escrivão da Delegacia de Homicídios (DHM/DHPP).

Essas mudanças estão causando uma série de problemas nas investigações. Somente este ano já foram cometidos 28 homicídios em Mossoró e, com essas remoções, a DHPP ficou com pouquíssimos agentes para investigar esses casos. Afinal, quem saiu, não foi substituído.

“É a investigação que leva criminosos à prisão e punição. Sem este trabalho, impera a impunidade, o que fomenta ainda mais os crimes”, afirmou a presidente da Adepol, delegada Taís Aires.

A presidente da Adepol lembra ainda que esse problema pode ser resolvido de maneira mais simples, se o governo aceitar a proposta apresentada pelas categorias para evitar perdas decorrentes da retirada do adicional por tempo de serviço (ADTS). A postura negativa do executivo estadual motivou a decisão dos policiais civis sobre o trabalho voluntário. “O Governo do RN tem feito manobras que, além de não resolver, ainda causa outros problemas. Tudo isso, porque evita negociar de verdade com as entidades”, acrescentou Taís Aires.

Mais do mesmo. Essa foi a impressão que a Associação de Delegados de Polícia Civil (AdepolRN) teve da proposta apresentada pelo Gabinete-Civil do Governo do RN, na tarde desta segunda-feira (21). Com isso, a negociação em busca de uma solução para o adicional de tempo de serviço (ADTS) segue parada.

“A proposta que o Governo do RN apresentou é mais do mesmo, mostrou que eles não estão ouvindo o que estamos dizendo e continuam repetindo o mesmo texto que já foi descartado pela categoria por significar perdas para os delegados e demais policiais civis”, afirmou a presidente da Adepol, delegada Taís Aires.

Nesta segunda-feira, inclusive, a Adepol e demais entidades de classe, tentaram discutir uma nova proposta na mesa de negociação. Contudo, os representantes do Governo não se mostraram receptivos e apenas solicitaram que a proposta fosse protocolada, para ser posteriormente analisada pelo Executivo.
Governo repete problemas em proposta e negociação com delegados da Polícia Civil não avança

Mais do mesmo. Essa foi a impressão que a Associação de Delegados de Polícia Civil (AdepolRN) teve da proposta apresentada pelo Gabinete-Civil do Governo do RN, na tarde desta segunda-feira (21). Com isso, a negociação em busca de uma solução para o adicional de tempo de serviço (ADTS) segue parada.

“A proposta que o Governo do RN apresentou é mais do mesmo, mostrou que eles não estão ouvindo o que estamos dizendo e continuam repetindo a mesma proposta que já foi descartado pela categoria por significar perdas para os delegados e demais policiais civis, mudando apenas um ou outro detalhe”, afirmou a presidente da Adepol, delegada Taís Aires.

Nesta segunda-feira, inclusive, a Adepol chegou a tentar apresentar uma proposta para o Gabinete-Civil. Contudo, os representantes do Governo não se mostraram interessados e apenas solicitaram que o texto fosse protocolado para ser posteriormente analisada pelo Executivo.

“Desta vez, nem reunião foi marcada para o retorno sobre a proposta”, acrescentou a presidente da Adepol.

Desta forma, segue o impasse em torno da questão e os serviços extraordinários permanecem suspensos pelos policiais.


Por Jacson Damasceno
Assessoria de Imprensa

Crianças dos 5 aos 11 anos de idade vão poder colocar a imunização contra a COVID em dias nos próximos dois sábados (19 e 26) no Shopping Cidade Verde, em Nova Parnamirim. O local vai funcionar como ponto de vacinação das 08h às 14h.  

Os pais ou responsáveis devem se dirigir ao setor administrativo do shopping para a aplicação da vacina infantil da Pfizer.  

A criança que for tomar o imunizante deve estar acompanhada de um responsável, maior de 18 anos, e deverá levar um documento oficial com foto ou certidão de nascimento e ter cadastro no RN+Vacina. Na ausência dos pais, é necessário levar uma autorização assinada por eles. O documento está disponível no endereço www.parnamirim.rn.gov.br.

A Marinha do Brasil abriu as inscrições do concurso para Soldado Fuzileiro Naval. São ofertadas 960 vagas para brasileiros, do sexo masculino, com 18 anos completos e menos de 22 anos no dia 30 de junho de 2023, com ensino médio/técnico completo. As inscrições poderão ser realizadas, até 24 de março, pelo site www.marinha.mil.br/cgcfn, no menu “Concursos para o CFN”, ou presencialmente, nos endereços listados no Anexo A do Edital.

No momento da inscrição, o candidato poderá optar, inicialmente, por concorrer às vagas nos seguintes locais: Unidades da Marinha no Rio de Janeiro – RJ; Unidades da Marinha em Brasília – DF; Grupamento de Fuzileiros Navais de Rio Grande – RS; 1º Batalhão de Operações Ribeirinhas em Manaus – AM; 2º Batalhão de Operações Ribeirinhas em Belém – PA; 3º Batalhão de Operações Ribeirinhas em Ladário – MS; Grupamento de Fuzileiros Navais de Natal – RN; Grupamento de Fuzileiros Navais de Salvador – BA; e Batalhão de Defesa NBQR de Aramar – SP. A distribuição das vagas ocorrerá de acordo com as necessidades da Administração Naval.

A primeira etapa do processo seletivo consiste em Exame de Escolaridade, constituído de provas de Português e Matemática, em data a ser divulgada posteriormente. Os aprovados passarão ainda por verificação de dados biográficos e de documentos, avaliação psicológica, inspeção de saúde e teste de aptidão física de ingresso.

O Curso de Formação terá a duração de, aproximadamente, 17 semanas, e será realizado em órgãos de formação do Corpo de Fuzileiros Navais no Rio de Janeiro e em Brasília, em regime de internato e dedicação exclusiva até o dia da formatura. Durante o período, além de serem proporcionados alimentação, uniforme e assistência médico-odontológica, psicológica, social e religiosa, o Aprendiz-Fuzileiro Naval receberá remuneração atinente à sua graduação.

Os delegados de Polícia Civil decidiram rejeitar a proposta apresentada pelo Governo do RN sobre o adicional de tempo de serviço (ADTS). A decisão foi tomada em assembleia realizada pela categoria na tarde desta quinta-feira (17).

Além de rejeitar a proposta, os delegados decidiram seguir mobilizados até que o Governo apresente uma proposta que seja realmente viável, o que não ocorreu até o momento. “Nos próximos dias, também vamos ampliar as ações de divulgação da mobilização, para que a sociedade compreenda a gravidade do que está ocorrendo e o quão lenta está essa negociação”, afirmou a delegada Taís Aires, presidente da Associação de Delegados (Adepol).

A mais recente proposta do Governo do RN alterava a forma remuneratória para subsídio e, mesmo assim, mantinha parcela ou valor agregado, condicionando a retirada à decisão judicial que será proferida pelo Tribunal de Justiça em relação ao ADTS, situações que apresentam inconsistências legais.

“Estamos há meses esperando uma proposta do Governo do RN que seja justa e constitucional. Por isso, não vemos outra saída que não seja continuar a mobilização, com recusa de serviço voluntário, por exemplo, o que deve manter as delegacias de plantão fechadas durante o fim de semana no interior do Estado. É um prejuízo para a população que o Governo poderia evitar”, avaliou a delegada Taís Aires.

Antes do fim de semana, porém, ainda haverá uma nova reunião com o Governo do RN, prevista para esta sexta-feira (18), às 11h. No encontro, a Adepol apresentará uma contraproposta para a gestão estadual, com o objetivo de solucionar o impasse.

Por Eliana Lima
www.bznoticias.com.br

Ela era a mais festejada e respeitada escultora e artesã destas terras de potis-talentosos. 

As obras em madeira de Luzia Dantas de Araújo estão espalhadas em museus, galerias e em casas de colecionadores brasileiros e estrangeiros.

A artista que nasceu no Sítio Rio Cachoeira, em São Vicente (RN), e por mais de 30 anos morou em Currais Novos, partiu neste sábado (12), aos 84 anos.

O despertar da habilidade para a arte foi a inspiração nos bonecos com casca de melancia que a mãe fazia para os filhos brincarem. 

Luzia começou a fazer bonecas de madeira. Logo os vizinhos encomendavam para os filhos deles e a fama foi crescendo. 

Pegava pedaços de lenha de imburana e fazia sua arte. A cada vaquejada que assistia, corria para casa transformar em madeira o que via nas corridas de boi e cavalo. As encomendas foram aumentando. 

Luzia partiu, mas permanece como patrimônio artístico e cultural do Rio Grande do Norte!

Um dos mais importantes projetos culturais do Rio Grande do Norte terá sua história eternizada com o lançamento do livro “Seis e Meia: A história de uma história” de autoria do poeta, artista e professor Moacy Cirne, última obra do escritor, falecido em 2014.

A publicação foi idealizada pelo produtor cultural e criador do projeto William Collier, com prefácio de Leide Câmara e fotografias de Evaldo Gomes. A edição é da Editora Idearte do jornalista e produtor, Amaury Veríssimo Júnior.

O lançamento do livro está previsto para abril graças ao valoroso apoio cultural do Sistema Fecomercio/SESC RN.

Os Delegados decidiram retomar os trabalhos ordinários na Polícia Civil do RN, em razão da reabertura da mesa de negociação e em sim atenção à decisão judicial. Contudo, os delegados decidiran também que não realizarão qualquer serviço extraordinário até a resolução do impasse em torno do ADTS.

Por isso, pode-se dizer que, apesar de cumprir a decisão judicial, os delegados continuam mobilizados, visto que por causa do baixo efetivo da PCRN, muitas delegacias, principalmente no interior, só funcionam porque os policiais utilizam seu horário de folga para suprir a demanda.

———————————————————————————————
JACSON DAMASCENO Assessoria de Imprensa 

Após quase 16 anos do início das obras, eixos Norte e Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco estão concluídos. Quando todas as obras complementares estiverem concluídas, mais de 16,47 milhões de brasileiros, de 565 municípios de sete estados nordestinos, serão beneficiados

Brasília (DF) – O sonho de garantir água em quantidade e qualidade para o semiárido nordestino vai virar realidade. Após quase 16 anos de espera, os eixos Norte e Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco foram concluídos e, nesta quarta-feira (9), as águas do Velho Chico finalmente chegarão ao Rio Grande do Norte. O presidente Jair Bolsonaro e o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, participam do evento de chegada das águas, na cidade de Jardim de Piranhas (RN).

“Foi este Governo que deu operacionalidade ao Projeto São Francisco. Quando assumimos, apenas 31,54% das estruturas do Eixo Norte tinham condições de operar e as águas sequer haviam saído do estado originário, Pernambuco. Fomos nós que garantimos os investimentos e as condições para que elas chegassem ao Ceará e ao Rio Grande do Norte. Muito do que havia sido construído, estava praticamente abandonado, sem uso, se deteriorando”, afirma o ministro Rogério Marinho. “Não medimos esforços para resolver problemas, corrigir erros estruturais, recuperar e retomar obras. E hoje, podemos dizer que 100% dos dois eixos (Norte e Leste) estão operacionais e que as águas do São Francisco finalmente chegaram aonde já deveriam estar há muito tempo”, completa.

Em 2016, apenas 16,15% do Eixo Norte e 15,67% do Eixo Leste estava operacionais. Em 2019, no início da atual gestão, os percentuais eram de 31,54% no Eixo Norte. Atualmente, ambos os eixos estão com 100% de execução.

Desde 2019, o Governo Federal investiu R$ 3,49 bilhões para que a água do São Francisco pudesse chegar ao Ceará e ao Rio Grande do Norte e, também pelo Eixo Norte, à Paraíba – o estado já é atendido, desde 2017, pelo Eixo Leste. Isso representa 23,94% de tudo que foi alocado na obra, uma média anual de R$ 1,16 bilhão, a maior entre todas as gestões do Governo Federal. De 2008 a 2015, o aporte foi de 56,68% do total (média anual de R$ 1,03 bilhão) e, de 2016 a 2018, de 19,38% (média anual de R$ 942,4 milhões).

Quando todas as obras complementares estiverem concluídas, mais de 16,47 milhões de brasileiros, de 565 municípios de sete estados nordestinos, serão beneficiados pelas águas do Rio São Francisco.

“Para nós, é um acontecimento extraordinário e justifica tudo o que foi feito. Todo o trabalho, todo o esforço e todo o suor coletivo, porque esta é uma ação do Estado brasileiro, é fruto da determinação, da priorização dada pelo presidente Bolsonaro, que não mediu esforços para dar a condição de chegarmos a esse momento. Um momento em que nós, literalmente, abraçamos o Nordeste brasileiro, com ações efetivas de mudanças estruturais”, destaca Marinho.

Novo ciclo

Além de concluir e colocar em operação todo o Eixo Norte, o Governo Federal iniciou um novo ciclo, retomando o projeto original da transposição e, com isso, um compromisso feito com a população de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte.

Um desses projetos originais é o Ramal do Apodi, no Rio Grande do Norte. As obras já estão em execução. A estrutura vai levar as águas do Eixo Norte do Projeto São Francisco a 54 municípios potiguares, 32 da Paraíba e nove do Ceará, beneficiando 750 mil pessoas. O investimento federal é de R$ 938,5 milhões. A obra estava prevista em 2004, mas ao longo dos anos foi abandonada, apenas em 2021 o projeto saiu do papel.

Outros dois projetos originais retomados pelo Governo Federal foram o Ramal do Agreste, maior obra hídrica de Pernambuco, que foi concluído em 2021, com 99% da obra e do repasse de recursos executado pela atual gestão, e o Ramal do Salgado, no Ceará, cujas obras já estão sendo licitadas. Somados, os Ramais do Agreste, Apodi e Salgado contam com 222 quilômetros de canais.

Também em terras potiguares, o Governo Federal deu início ao Sistema Seridó, que vai abastecer cerca de 280 mil pessoas em 24 municípios potiguares. Já estão sendo produzidos o projeto executivo e estudos complementares necessários para o começo das obras. A estimativa é de que sejam investidos cerca de R$ 280,6 milhões para a construção de mais de 330 quilômetros de canais adutores, estações de bombeamento e de tratamento e pontos de captação de água.

Barragem de Oiticica

Antes do evento de chegada das águas, o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Rogério Marinho visitam as obras da Barragem de Oiticica, em Jucurutu, cujas obras começaram em 1952. Porta de entrada das águas do Rio São Francisco no Rio Grande do Norte, a estrutura está praticamente pronta e vai atender cerca de 330 mil pessoas de oito cidade potiguares, além de contribuir com o controle das cheias na região e permitir uma ampliação de até 10 mil hectares da área irrigada da Bacia de Piranhas-Açu. O Governo Federal já disponibilizou cerca de R$ 300 milhões para a estrutura desde 2019.

Durante a agenda, também será assinada ordem de serviço para a segunda etapa da obra de pavimentação em Jucurutu, interligando a sede do município ao distrito de Serra de João do Vale. Com investimentos de R$ 6,9 milhões, serão executados serviços de terraplanagem, drenagem e obras de arte corrente, sinalização, pavimentação e interseção com a BR-226/RN.

Águas do São Francisco mais longe

Além de concluir o Eixo Norte e retomar obras do projeto original da transposição, cerca de 3 mil quilômetros de canais e adutoras também foram, estão ou serão construídos pelo Governo Federal para levar água ao semiárido nordestino. Além de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte, essas estruturas vão ainda mais longe, atendendo outros estados da região, como Alagoas, Sergipe e Bahia.

Entre as obras em execução estão o Cinturão das Águas do Ceará (CAC), as Vertentes Litorâneas da Paraíba, a Adutora do Agreste Pernambucano e o Canal do Xingó, em Sergipe. Já o Ramal do Piancó, na Paraíba, o Sistema Seridó, no Rio Grande do Norte, e o Canal do Sertão Baiano estão com estudos e projetos em desenvolvimento. E no estado de Alagoas, o Governo Federal concluiu e entregou o quarto trecho do Canal do Sertão Alagoano.