Marca Maxmeio

Resultado da busca por: fiart

 

Com patrocínio do Governo do Estado, a 25ª Fiart – Feira Internacional de Artesanato, foi aberta nesta sexta-feira (24) no Centro de Convenções de Natal, na Via Costeira, em Ponta Negra, com artesãos do Rio Grande do Norte, de vários estados brasileiros e pelo menos onze países.

A Fiart 2020 se estenderá até o dia 02 de fevereiro e a expectativa é de um público visitantes de 50 mil pessoas nesses dez dias do evento, que deve superar os R$ 7 milhões em vendas de 2018.

A Sethas este ano tem como atrações, além dos quase 200 artesãos e artesãs individuais, de culinária, de essência e entidades representativas,  convidados por territórios potiguares e o mestres artesãos.

De acordo com o artigo 3º da Base Conceitual do Artesanato, do Programa Nacional do Artesanato (PAB), criado em março de 1991, o Mestre Artesão é o indivíduo que se notabilizou em seu ofício, legitimado pela comunidade que representa e/ou reconhecido pela academia, destacando-se através do repasse de conhecimentos fundamentais da sua atividade para as novas gerações.

A Fiart terá programação cultural diversificada e com mostra folclórica, seminário, cortejos, oficinas, shows, além de outras novidades. A gastronomia também terá um espaço diferenciado com degustações e até uma cervejaria. Este ano, na parte gastronômica, o destaque será os queijos produzidos artesanalmente no Seridó Potiguar, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Os visitantes poderão ver e comprar o que há de melhor no artesanato do Rio Grande do Norte, do Brasil e países como a Colômbia, Dubai, Paquistão, Quênia, Senegal, Egito, Corea, Indonésia, Japão, Tailândia e Peru.

Este ano a Fiart terá mais de 380 estandes e a Sethas (Secretaria do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social) ampliou o espaço para os territórios potiguares e povos tradicionais (indígenas, ciganos e quilombolas), além de uma área dedicada aos mestres artesãos.

SEMINÁRIO

O Governo do Estado, dentro da programação da 25ª Fiart 2020, vai realizar, dia 28 de janeiro às 9h, o seminário “Do olhar antropológico sobre uma experiência local de produção e comercialização artesanal na perspectiva de uma reconfiguração do artesanato potiguar e brasileiro”.

 

25ª Fiart

Local: Centro de Convenções de Natal, na Via Costeira (Ponta Negra)

Horário de funcionamento: 16h às 22h

Valor dos ingressos:

R$ 16,00 (dezesseis reais) inteira

R$ 8,00 (oito reais) meia

 

Edição 2020 marca os 25 anos do evento potiguar que valoriza o artesanato e a cultura

Nesta sexta-feira (24) será aberta no Centro de Convenções de Natal a 25ª edição da Feira Internacional de Artesanato – FIART. Este ano, o diferencial da tradicional mostra de artesanato está na programação cultural, onde das 16h às 22h o visitante vai poder consumir artesanato local e internacional, além de cultura e gastronomia nos espaços reservados para apresentações e entretenimento. Vale a pena conferir a 25ª FIART!

Com o tema “Inspiração e Arte, Negócios e Tradição”, o evento segue até o dia 02 de fevereiro, com uma programação extensa com muitas novidades, além dos artesãos potiguares, expositores de outros estados e países. Este ano, a FIART será composta por mais de 380 estandes, com expectativa de público de mais de 50 mil visitantes durante os dez dias de evento. A expectativa é que as vendas superem os R$ 7 milhões de 2019. A Feira está entre as quatro maiores do segmento no País. Além de servir como um espaço para o entretenimento e compras para turistas e visitantes locais, a FIART gera emprego e renda, movimentando a economia em plena temporada de verão. O ingresso custa R$ 16,00 (Inteira) e R$ 8,00 (Meia).

O artesanato local terá espaço dividido com a arte de países como: Colômbia, Dubai, Paquistão, Quênia, Senegal, Egito, Coera, Indonésia, Japão, Tailândia e Peru.

A FIART tem como patrocinadores e parceiros o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Sebrae/RN e Prefeitura de Natal. Toda a programação cultural será realizada com o incentivo da Lei Municipal Djalma Maranhão, com patrocínio da Unimed Natal e Luck Receptivo. Organização Espacial Eventos.

A programação cultural será diversificada e conta com mostra folclórica, seminário, cortejos, oficinas, shows, além de outras novidades. A gastronomia também terá um espaço diferenciado, com muitas degustações e até uma cervejaria. Destaque para os queijos produzidos artesanalmente e vindos do Seridó Potiguar, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Saiba mais através do site: feirafiart.com.br

 Feira Internacional de Artesanato (Fiart)  apresenta uma programação diversificada para o entretenimento, além da tradicional venda do artesanato local e internacional

Com o tema “Inspiração e Arte, Negócios e Tradição”, a 25ª edição da Feira Internacional de Artesanato – FIART foi lançada na manhã desta quinta-feira no Espaço Neuma Leão, em Natal. O evento acontece de 24 de janeiro a 02 de fevereiro de 2020, no Centro de Convenções. Em seu 25º ano, a FIART traz uma programação extensa com muitas novidades, além dos artesãos potiguares, expositores de outros estados e países. A feira transformará o Centro de Convenções em um grande atrativo para turistas e visitantes locais, através da diversidade de produtos, da programação cultural e da gastronomia.

Este ano, a FIART será composta por mais de 380 estandes, com expectativa de público de mais de 50 mil visitantes durante os dez dias de evento, das 16h às 22h. Assim, a expectativa é que as vendas superem os R$ 7 milhões de 2019. A Feira está entre as quatro maiores do segmento no País. Além de servir como um espaço para o entretenimento e compras para turistas e visitantes locais, a FIART gera emprego e renda, movimentando a economia em plena temporada de verão. O ingresso custa R$ 16,00 (Inteira) e R$ 8,00 (Meia).

A programação cultural será diversificada e conta com mostra folclórica, seminário, cortejos, oficinas, shows, além de outras novidades. A gastronomia também terá um espaço diferenciado, com muitas degustações e até cervejaria artesanal. Destaque para os queijos produzidos artesanalmente, vindos do Seridó Potiguar, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

A FIART tem como patrocinadores e parceiros o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Sebrae/RN e Prefeitura de Natal. Toda a programação cultural será realizada com o incentivo da Lei Municipal Djalma Maranhão, com patrocínio da Unimed Natal e Luck Receptivo. Organização Espacial Eventos.

 “A 25ª edição da FIART comprova mais uma vez a consolidação do evento no calendário turístico da cidade na alta estação. A feira movimenta a economia local promovendo o trabalho dos artesãos, especialmente do artesão potiguar”, conta o idealizador e organizador da Fiart, Neiwaldo Guedes.

Saiba mais através do site: feirafiart.com.br

Mídias sociais: @feirafiart

Com o tema “Inspiração e Arte, Negócios e Tradição”, a Feira Internacional de Artesanato – FIART acontecerá de 24 de janeiro a 02 de fevereiro de 2020, no Centro de Convenções, em Ponta Negra, Natal-RN. Em sua 25ª edição, a FIART terá muitas novidades, além dos artesãos potiguares, expositores de outros estados e países. Para celebrar 25 anos de sucesso, o evento em 2020 transformará o Centro de Convenções em um grande atrativo para turistas e visitantes locais, através da diversidade de produtos, da programação cultural e da gastronomia.

Além de servir como um evento de entretenimento e compras para turistas e visitantes locais, a FIART gera emprego e renda, movimentando a economia em plena temporada de verão. De acordo com a organização, são esperados cerca de 50 mil visitantes. Assim, a expectativa é que as vendas superem R$ 7 milhões. A Feira está entre as quatro maiores do segmento no País.

A programação cultural será diversificada e conta com mostra folclórica, seminário, cortejos, oficinas, shows, além de outras novidades. A gastronomia também terá um espaço diferenciado, com muitas degustações e até uma cervejaria.

“A 25ª edição da FIART comprova mais uma vez a consolidação do evento no calendário turístico da cidade na alta estação. A feira movimenta a economia local promovendo o trabalho dos artesãos, especialmente do artesão potiguar”, conta o idealizador e organizador da Fiart, Neiwaldo Guedes.

A FIART tem como patrocinadores e parceiros o Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Sebrae/RN e Prefeitura de Natal. Organização Espacial Eventos.

Saiba mais através do site: feirafiart.com.br

Com o apoio do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas-RN) e Governo Cidadão via empréstimo com o Banco Mundial, os cerca de 250 artesãos, que participaram da Feira Internacional de Artesanato (Fiart), venderam R$ 660.584,00 mil em produtos, nos 10 dias do evento. A Fiart foi realizada no Centro de Convenções de Natal, entre o dia 31 de janeiro e 03 de fevereiro.

Foram mais de 7 mil produtos vendidos de todas as tipologias como Esculturas, brinquedos, pinturas, roupas, objetos decorativos, utensílios, cama, mesa e banho. O espaço do Governo ocupou uma área de 1.400 metros quadrado, com seis salões de mestres e cerca de 50 estandes.

“Esse número de vendas mostra o quanto o artesanato potiguar é importante para economia. Em apenas 10 dias esses artesãos venderam milhares de produtos. Precisamos investir em mais espaços de comercialização para que o artesão comercialize na sua região e que ele ganhe autonomia financeira. O Proarte-RN vai buscar atuar na interiorização do artesanato, de modo articulado a interiorização do Turismo, para que nosso artesanato seja ainda mais valorizado, dentro e fora do estado”, ressaltou a secretária da Sethas-RN, Iris de Oliveira.

Esse ano foram beneficiados artesãos de 44 municípios, 43 associações, 05 cooperativas, 12 empreendimentos solidários, além de instituições públicas como a Fundase-RN com artesanato dos socioeducandos, o “Projeto Tranforme-se” com artesanato produzido pelas internas da penitenciária João Chaves e a Central de Comercialização da Agricultura Familiar (Cecafes).

Atualmente, o artesanato potiguar consolida-se como uma fonte de renda para famílias que buscam melhorias nas condições socioeconômicas. Buscando incentivar essa cadeia produtiva, o Programa do Artesanato do Estado do Rio Grande do Norte (Proarte-RN), atua na valorização, divulgação e comercialização dos trabalhos realizados por artesãos independentes, associações, cooperativas e grupos de produções dos 167 municípios. O programa também incentiva a participação dos artesãos potiguares em feiras, exposições e eventos, realiza o cadastro dos artesãos e emite a Carteira Nacional do Artesão.

 


Assessoria de Comunicação – Sethas/RN

Anderson Santos

Fotos: Canindé Soares e Meysa Medeiros

A 24ª Feira Internacional de Artesanato (Fiart) foi encerrada neste domingo (3) com o público participante, expositores e visitantes, elogiando e aprovando o novo pavilhão do Centro de Convenções. Para o artesão Élcio Pereira, que há 9 anos vem de Brasília (Distrito Federal) para expor suas flores do Cerrado na feira, a realização nesse novo espaço foi uma iniciativa muito boa para os artesãos, tanto do Rio Grande do Norte como do Brasil e até de outros países.

 

“A aquisição desse novo espaço foi muito boa para os artesãos. Até o pessoal que está frequentando a feira tem elogiado também porque tem mais conforto e mais acesso, tanto para as pessoas idosas quanto para deficientes físicos, agora tem um acesso mais favorável. Estou muito feliz com a nova conquista, com a nova aquisição”, apontou.

 

Segundo Neiwaldo Guedes, organizador da Fiart, essa foi uma das melhores edições da Fiart e o Governo do Estado foi fundamental para realização da feira no local e, consequentemente, para o sucesso do evento. “A participação do público foi expressiva”, aponta.

 

Há 24 anos participando da feira trazendo iguarias da região Sul do Brasil como chocolates de Gramado, queijos, salaminhos, além de vinhos e suco de uva integral, Luís Carlos, afirma que a feira ficou muito bem organizada e que para ele foi bem melhor que a edição anterior.

 

A servidora pública Marize Tavares, que veio quatro vezes à Fiart esse ano, também elogiou o novo espaço. “A mudança de local foi radical. Aqui está maravilhoso. Chamou minha atenção o artesanato, que está belíssimo, a distribuição dos estandes, a praça da alimentação, gostei muito. Eu viria até mais vezes, se tivéssemos mais 15 dias de feira”, concluiu.

 

A programação de encerramento contou com apresentações culturais do Estúdio de Dança Soraia Lima; Grupo Vidar’t; Lar Fabiano de Cristo e Raízes do Agreste e show do cantor Joaozinho.

 

Grupos de Parnamirim e Pedro Velho vencem 17º Festival de Danças Folclóricas e Parafolclóricas da 24ª Fiart

 

No sábado, foram conhecidos os ganhadores do 17º Festival de Danças Folclóricas e Parafolclóricas da 24ª Feira Internacional de Artesanato (FIART). O festival tem o objetivo de promover o resgate das raízes culturais nordestinas. Os vencedores receberam premiação em dinheiro (mil reais para a primeira colocação e 500 reais para o segundo colocado), certificados e troféus.

 

Antes da premiação, porém, os integrantes do Pastoril Dona Joaquina fizeram uma bela apresentação em homenagem à criadora desse tradicional grupo de pastoril de São Gonçalo do Amarante, Sephora Bezerra.

 

Em seguida, foram anunciados os vencedores do festival. Na categoria folclórico o 1º colocado foi o Boi de Reis Pintadinho do distrito de Cuité, no município de Pedro Velho; a segunda posição ficou com o grupo Congos de Combate de São Gonçalo do Amarante. Na categoria parafolclórico, os vencedores foram, em primeiro lugar, a Companhia Dança Xaxado de Parnamirim, e na segunda colocação o Grupo Eita de Projeções Folclóricas, de João Pessoa/PB.

 

Segundo André Batista, diretor de projetos culturais da Fundação Parnamirim de Cultura, o espetáculo apresentado é um recorte das três apresentações do grupo ao longo de 15 anos de existência. Ele ressalta que é uma premiação importante para revigorar as energias do grupo e a autoestima de cada componente. Afirma ainda que a realização do festival permite o resgate da cultura. “O evento traz essa importância da divulgação do nosso trabalho. Para nós, que trabalhamos com cultura popular, tanto parafolclórica quanto folclórica, é importante nesse sentido de manter vivo do folclore brasileiro”, concluiu.

 

Para Marcos Teixeira, coordenador do grupo Boi de Reis Pintadinho, o festival é uma vitrine para mostrar o trabalho do grupo, que já é reconhecido pela sua autenticidade. “Nosso grupo de Boi de Reis é considerado o mais autêntico no Brasil por estudiosos e conhecido como patrimônio vivo da cultura brasileira. Esse festival é uma vitrine muito importante para o nosso grupo”, apontou. O auto do Boi de Reis de Cuité, comunidade rural do município potiguar de Pedro Velho, completa 119 anos em 2019.

 

Durante a solenidade de entrega da premiação, Neiwaldo Guedes, organizador da Feira, ressaltou a importância do festival para a preservação das tradições nordestinas e agradeceu a participação dos 13 grupos que se apresentaram e dos jurados pela contribuição.

 

“Vocês abrilhantaram esse evento.  Vocês trouxeram vida e calor humano a esse evento. Por onde passo as pessoas falam da qualidade das apresentações que tivemos aqui nesse palco. Apresentações que poderiam ser realizadas em qualquer lugar, em qualquer palco de um evento como esse ou em qualquer outro do Brasil e de outros países porque o nível foi muito alto, muito elevado”, disse.

 

Ele apontou ainda que o intuito do Governo do Estado, com o apoio ao evento, e da organização da feira é estimular a cultura, o artesanato e, naturalmente, premiar o potiguar, o norte-rio-grandense com um evento desse nível, dessa qualidade, associando também ao turista que participa porque na Feira encontra cultura, turismo e artesanato. “A premiação é também o momento para agradecer aos artistas, ao público que tem prestigiado o evento e a InterTV Cabugi pelo apoio na divulgação do festival”, concluiu.

 

Ao todo, 13 grupos do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará participaram do festival, mostrando um pouco da cultura da região Nordeste do Brasil por meio de expressões tradicionais como o Boi de Reis, Caboclinho; Xaxado; Pastoril e Capoeira.

 

Representando a governadora Fátima Bezerra, a titular da Secretaria de Estado do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social (Sethas), Iris de Oliveira, saudou os grupos que se apresentaram e enriqueceram a Fiart e ressaltou o empenho e a dedicação do organizador da Fiart, Neiwaldo Guedes, pela organização do evento ao longo desses 24 anos. Destacou ainda que a feira tem crescido e que já entrou no calendário do turismo do Rio Grande do Norte.

 

“Aqui passa, não apenas o artesanato potiguar, mas também o artesanato nacional e eu acho que esse momento do festival é um acerto muito grande da Fiart. Um momento que traz para dentro de uma feira de artesanato uma dimensão da cultura que é muito importante que é o folclore para preservar nossas raízes, preservar a história, construir a cultura, oferecer e assegurar oportunidade para que àqueles que fazem a cultura possam se apresentar e mostrar a sua arte e, principalmente, possam dar a sua contribuição para que a cultura e a arte no nosso estado e no Brasil possam crescer, possam se firmar”, concluiu.

 

Participaram da comissão julgadora do 17º Festival de Danças Folclóricas e Parafolclóricas: Paulo Varela, representando a Comissão Norte-rio-grandense de Folclore; Bruno Borges, a Fundação José Augusto e Wannie Rose, representando o Teatro Alberto Maranhão.

 

Público participa do Concurso de Fotografia

 

A entrega da premiação para os vencedores do concurso de fotografia promovido pela 24ª Fiart aconteceu neste domingo (3).  Foram escolhidas as 10 melhores fotos em cada uma das categorias: exposição e cultural, produzidas pelo público e registradas de câmera profissional ou celular, durante a Feira e postadas na rede social Instagram. Todos os participantes selecionados receberam certificado. Já os três primeiros colocados receberam certificado, premiação em dinheiro e em serviços gráficos.

As 20 imagens vencedoras, escolhidas por uma banca de especialistas formadas pelos fotógrafos Henrique José, Canindé Soares e Pablo Pinheiro, foram impressas e expostas na galeria da Feira. Participaram do concurso 267 pessoas.

Os vencedores na categoria exposição foram: 1° Everaldo Leocadio
2° John Nascimento; 3° Paulo Ricardo; 4° Karollina Medeiros; 5° José Aldenir
6° Luiz Dias; 7° Endy Mahara; 8° Victor Silva; 9° Erica Lima e 10° Matheus Neves. Na categoria cultural: 1° Alexandre Santos; 2° Walmir Queiroz; 3° Viviane Thierre; 5° François Katrine; 6° José Aldenir; 7° Luiz Dias; 8° Francisco Anthony; 9° Erica Lima e 10° Paulo Ricardo.

 

A “Rendeira”, do escultor Ednaldo Santiago, vence Prêmio Vitrine Fiart

 

Na programação deste domingo que encerrou a 24ª Fiart também aconteceu a entrega da premiação aos vencedores da 9ª edição do Prêmio Vitrine Fiart – que visa estimular o artesão norte-rio-grandense a investir mais na qualidade do seu trabalho, como também estimular a população a participar ativamente do evento, já que a escolha dos vencedores é feita pelo público.

 

Com a escultura em argila “Rendeira”, o artesão Ednaldo Santiago foi o grande vencedor. Muito emocionado por ganhar o prêmio com uma peça bastante simbólica para sua família e o seu pai, o escultor Etevaldo Santiago, já falecido, que teve a mulher rendeira como carro-chefe de sua obra e venceu a premiação por três vezes, Ednaldo disse que o prêmio é muito importante para o reconhecimento do seu trabalho, ao qual ele tanto se dedica para manter a tradição do trabalho de esculpir em argila. O segundo colocado foi o artesão Aldo Rodrigues, com o “Oratório de Nossa Senhora do Rosário”, em argila e madeira, e o terceiro lugar ficou com o artesão Edilson Carneiro, com a escultura “Tanque de Guerra”, produzida com sucata.

 

Um total de 18 peças de artesãos potiguares de várias regiões foram avaliadas pelo público que visitou a Fiart. Os trabalhos foram selecionados pelo curador do prêmio e técnico do Programa Estadual do Artesanato (Proart), Domingos Sávio. Os três primeiros colocados receberam premiação em dinheiro, troféu e certificado.

 

De acordo com Neiwaldo Guedes, organizador do evento, os visitantes escolheram avaliando o grau de dificuldade do material utilizado, a qualidade e, naturalmente, a beleza das peças. Ele disse que, pela qualidade dos trabalhos, o público certamente teve dificuldade de escolher diante de tantas peças bonitas. “Nosso artesanato cada ano tem se superado, nosso artesanato vem evoluindo cada vez mais. E a nossa intenção é justamente estimular a cultura, a arte, e a fotografia, que também é uma arte”, afirmou.

Para Salmira Torres, coordenadora do Proart, a premiação é uma forma de conhecer e reconhecer a valorização de cada artesão na qualidade e no acabamento de cada peça. “Estamos premiando a capacidade e a criatividade de produzir dos nossos artesãos”, finalizou.

 

A Fiart, organizada pela Espacial Eventos, é realizada com o apoio do Governo do Estado, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do RN – Sebrae – e Prefeitura do Natal. Outras informações e fotos estão disponíveis no site www.feirafiart.com.br

 


Nice Medeiros – Assessoria de Imprensa 24ª Fiart

No sábado os finalistas Grupos Parafolclóricos:  Grupo Eita de Projeções Folclóricas de Joao Pessoa/PB e Companhia de Dança Xaxado, de Parnamirim/RN.

E apresentação do Grupo Pastoril Dona Joaquina – São Gonçalo do Amarante

Aconteceu também o resultado e a entrega da premiação do 17º Festival de Danças Folclóricas e Parafolcloricas

Neste domingo – 3 de janeiro

17h – Estúdio de Dança Soraya Lima /Parnamirim/RN

17h30 – Cortejo: A arte do Circo

18h – Apresentações culturais: Cia de Danças Balão Dourado; Grupo de Dança VIDART; Grupo Raízes do Agreste – Espírito Santo/RN; Grupo Cultural Lar Fabiano de Cristo

20h – Show: Joãozinho (Banda Kairos)

 

A Fiart, organizada pela Espacial Eventos, é realizada com o apoio do Governo do Estado, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do RN – Sebrae – e Prefeitura do Natal. Outras informações e fotos estão disponíveis no site www.feirafiart.com.br

 

SERVIÇO:

 

24ª Feira Internacional de Artesanato – FIART

Quando: 25 de janeiro a 3 de fevereiro de 2019

Local: Centro de Convenções de Natal

Hora: a partir das 16h

Entrada: R$ 10,00 e R$ 5,00 (estudantes e idosos)

Fotos: Canindé Soares, Meysa Medeiros e Henrique José

 

 

 

Hoje, às 19h, acontece a grande final do 17º Festival de Danças Folclóricas e Parafolclóricas na programação cultural da 24ª Feira Internacional de Artesanato (FIART). O festival tem o objetivo de promover o resgate das raízes culturais nordestinas. Na categoria folclóricos foram classificados os grupos Boi Pintadinho de Pedro Velho/RN e Congos de Combate de São Gonçalo do Amarante/RN; na categoria parafolclórico foram classificados o Grupo Eita de Projeções Folclóricas de Joao Pessoa/PB e a Companhia de Dança Xaxado, de Parnamirim/RN.

 

Os dois grupos com as melhores pontuações nas duas categorias foram classificados para a final. A comissão julgadora, composta por três membros representantes da Associação Norte-rio-grandense de Folclore, Fundação José Augusto e Teatro Alberto Maranhão, avaliou itens da apresentação como: figurino, música, adereços, performance e harmonia.  Os vencedores receberão premiação em dinheiro (mil reais para a primeira colocação e 500 reais para o segundo colocado), certificados e troféus.

 

Ao todo, 13 grupos participaram do festival nessa edição que faz uma homenagem à desenhista, pintora, atriz, escritora, diretora e coreógrafa de São Gonçalo do Amarante, Séphora Bezerra.

 

O festival reúne grupos do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará que mostram um pouco da cultura da região Nordeste do Brasil por meio de expressões tradicionais como o Boi, Caboclinho; Xaxado; Pastoril e Capoeira.

 

Prêmio Vitrine Fiart

 

Com o objetivo de incentivar o talento, a criatividade e a qualidade do trabalho dos artesãos potiguares, a Feira promove o Prêmio Vitrine Fiart. Em sua 9ª edição, a premiação é uma iniciativa para estimular o artesão norte-rio-grandense a investir cada vez mais na qualidade do seu trabalho e a população a participar ativamente do evento, já que a escolha dos vencedores é feita pelo público.

 

Estão sendo avaliadas pelo público que visita a Fiart 18 peças de artesãos potiguares de várias regiões. Os trabalhos foram selecionados pelo curador do prêmio e técnico do Proart, Domingos Sávio. Os três primeiros colocados receberão premiação em dinheiro e certificado. A entrega da premiação acontece neste sábado (2). As peças serão doadas para o acervo do Governo do Estado.

 

Programação cultural 24ª Fiart:

 

Sábado – 2 de janeiro

17h30 cortejo: Trio de Forró Santa Maria

18h – Apresentações culturaisTuareg Kasa do Oriente (Danças orientais)

19h17º Festival de Danças Folclóricas e Parafolcloricas – Homenagem a Mestra Séphora Bezerra:

Finalistas Grupos Folclórico:  Boi Pintadinho – Pedro Velho/RN e Congos de Combate de São Gonçalo do Amarante/RN

 

Finalistas Grupos Parafolclóricos:  Grupo Eita de Projeções Folclóricas de Joao Pessoa/PB e Companhia de Dança Xaxado, de Parnamirim/RN.

20h30 – Apresentação do Grupo Pastoril Dona Joaquina – São Gonçalo do Amarante

Resultado e a entrega da premiação do 17º Festival de Danças Folclóricas e Parafolcloricas

Entrega da premiação do Prêmio VITRINE

21h – Show: Reinaldo Azevedo e Banda Anos 60

 

Domingo – 3 de janeiro

17h – Estúdio de Dança Soraya Lima /Parnamirim/RN

17h30 – Cortejo: A arte do Circo

18h – Apresentações culturais: Cia de Danças Balão Dourado; Grupo de Dança VIDART; Grupo Raízes do Agreste – Espírito Santo/RN; Grupo Cultural Lar Fabiano de Cristo

20h – Show: Joãozinho (Banda Kairos)

 

A Fiart, organizada pela Espacial Eventos, é realizada com o apoio do Governo do Estado, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do RN – Sebrae – e Prefeitura do Natal. Outras informações e fotos estão disponíveis no site www.feirafiart.com.br

 

SERVIÇO:

 

24ª Feira Internacional de Artesanato – FIART

Quando: 25 de janeiro a 3 de fevereiro de 2019

Local: Centro de Convenções de Natal

Hora: a partir das 16h

Entrada: R$ 10,00 e R$ 5,00 (estudantes e idosos)

 

 Sobre Sephora Bezerra

Sephora Maria Alves Bezerra nasceu no dia 16 de junho de 1961 no Centro de São Gonçalo do Amarante, RN. Foi a primeira de 10 filhos do casal Antônio Marcel de Melo Bezerra e Damiana Alves Bezerra.

Nascida numa família de artistas e professores, desde cedo foi envolvida nos trabalhos culturais de sua cidade. Desenhista, pintora, poeta, atriz, escritora, diretora e coreógrafa, ainda na adolescência, fundou o grupo UDC junto com os amigos e a Igreja Matriz do Município, tendo como meta evangelizar através das artes, principalmente o teatro. Começou aí com a tradicional encenação da Paixão de Cristo na Cidade. Mais tarde o grupo UDC se tornaria o TESGA (Teatro de São Gonçalo do Amarante).

Como atriz, protagonizou personagens marcantes no teatro de sua cidade natal. Lançou o livro “Retrato em Preto e Branco” junto com o amigo Locha em 1993. Também cooperou com sua mãe no Pastoril da Escola Estadual Dr. Otaviano e em outras coreografias no grupo de danças e dramas que sua mãe também havia criado, com destaque para a “Aquarela do Brasil” – um sucesso absoluto em todo Estado no final da década de 70 e início de 80.  Muito inteligente e estudiosa, falava também inglês, espanhol, italiano e alemão. Mestra em Filosofia e especializada em Mística Medieval, foi palestrante em alguns seminários e conferências dentro e fora do país, e seus artigos publicados em revistas e livros ao redor do mundo, em vários outros idiomas.

Em 2004, juntamente com seus irmãos, fundou o grupo folclórico Pastoril Dona Joaquina e o Balé Popular Dona Joaquina (para outras intervenções e estudos culturais nas danças da região). O Pastoril surgiu como um legado familiar construído durante vários anos pela avó paterna Jéssica Débora nas Lapinhas/Pastoril Religioso da Igreja Matriz.

O Pastoril Dona Joaquina tornou-se referencial, como também o mais conceituado Pastoril do Brasil na atualidade, devido a sua visão de unir o antigo e o novo – mudança que funcionou e manteve a essência original com danças mais ágeis e elaboradas, fortalecendo a visão de alcançar e atrair os jovens, despertando neles interesse pela história e cultura regional.

O Grupo foi tese para mestrados e doutorados em várias Universidades do país. Em 2011, o Pastoril Dona Joaquina, sob o comando de Shephora, foi o grupo homenageado pelo Festival Nacional de Folclore em Olímpia/SP, juntamente com o Estado do Rio Grande do Norte. Séphora tornou-se uma das mais atuantes figuras defensoras da cultura potiguar pelo Brasil.

Mãe biológica de um único filho, Fernando Henrique Bezerra da Cunha, de seu segundo casamento. Por sua dedicação e cuidados, era considerada a segunda mãe por muitas pastorinhas e integrantes do grupo. Seus incentivos para o estudo impulsionaram vários brincantes a estudarem e concluir graduação universitária. Uma visão muito maior que só uma brincadeira folclórica, ou um passatempo cultural; mas uma construção social fundamentada na história comunitária comprometida com o futuro. Ela faleceu em 27 de janeiro de 2016, em Natal, vítima de câncer.     *Com informações de Ricardo Bezerra – irmão da homenageada

 


Nice Medeiros – Assessoria de Imprensa 24ª Fiart