Marca Maxmeio

Notícias

Estação de pesquisa funciona em Caiçara do Norte, interior do RN, e conta com a participação de pesquisadores e estudantes de todo o Brasil de forma virtual

A estudante Caroline Lanzieri, que curso Direito na Estácio Cabo Frio-RJ, foi selecionada junto a outros cinco integrantes de todo o Brasil para participar de um programa na estação de pesquisa Habitat Marte, da UFRN, que simula uma missão espacial no planeta vermelho direto da zona rural de Caiçara do Rio do Vento, interior do Rio Grande do Norte. Inspirada na estação espacial norte-americana Mars Desert Research Station (MDRS), coordenada pela Mars Society, a Habitat Marte possui todas as instalações necessárias para possibilitar a simulação de estudos sobre o solo marciano. A missão análoga à espacial ocorrerá até o dia 2 de agosto.

Os estudantes participarão de atividades como a subida ao Pico do Cabugi, onde pesquisadores já identificaram características similares às encontradas no solo marciano; a manutenção e a melhoria dos sistemas de agricultura autossustentável em estufa, para aprender sobre o cultivo de vegetais em solo extraterrestre, além da realização de protocolos regulares operacionais de funcionamento da estação espacial análoga.

A ideia do Habitat Marte é trabalhar tecnologias que serão vistas em futuras colônias no espaço, mas também poderão ser usadas nas habitações de áreas rurais e urbanas, como o Saneamento Inteligente com coleta de água da chuva para gestão, tratamento e reuso do esgoto com reciclagem de resíduos e dessalinização; e o uso da energia solar.

“Nosso desafio é educar por meio destas novas tecnologias e a nossa equipe é formada por pessoas motivadas em participar destas experiências. Fazem parte da missão seis participantes, sendo que Fernando Oliveira, o preparador físico trabalha por meio remoto/virtualmente a partir da cidade de Belém, no Pará. A estudante Caroline Lanzieri, do Rio de Janeiro, também está se destacando, mostrando total empenho em nossa missão Olympics”, comenta Julio Rezende, professor de Engenharia da Produção da UFRN e responsável pelo grupo de pesquisadores.

Essa edição do projeto recebe o nome de Missão 77/Mission Olympics em homenagem às Olimpíadas que ocorrem no mesmo período do projeto e tem como objetivo estimular a pesquisa, coletando vários dados que serão transformados em artigos e conteúdos para publicação.

“O corpo docente, os discentes e os nossos colaboradores da Estácio ficaram bem felizes quando souberam que a aluna Caroline Lanzieri tinha sido selecionada para participar da simulação da missão espacial a Marte. Apostamos e incentivamos todas as parcerias que envolvem a ciência e a pesquisa, consequentemente”, afirma André Escafura, gestor do campus da Estácio em Cabo Frio, que fica na Região dos Lagos do Rio de Janeiro. 

Sobre o Habitat Marte

A primeira missão no Habitat Marte ocorreu em dezembro de 2017 e, desde então, 65 missões completas já foram realizadas. No ano passado, o trabalho teve que ser adaptado para o ambiente virtual, em função  das medidas sanitárias exigidas pela pandemia, mas apesar da dificuldade, 43 missões, com 290 participantes de 32 países diferentes, foram feitas on-line desde março de 2020.

Mais informações sobre as atividades de pesquisa do Habitat Marte podem ser obtidas nas redes sociais Instagram @HabitatMarte e YouTube www.youtube.com/HabitatMarte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Btn Posts Anteriores